Bolsa Galp, Ibersol e Pharol mantêm PSI-20 no verde

Galp, Ibersol e Pharol mantêm PSI-20 no verde

O principal índice nacional está em alta, suportado nomeadamente pelos ganhos da Galp, Ibersol e Pharol. Entre as restantes congéneres não se verifica uma tendência definida, após as ameaças lançadas pela Coreia do Norte.
Galp, Ibersol e Pharol mantêm PSI-20 no verde
Bloomberg
Ana Laranjeiro 22 de setembro de 2017 às 11:28

A bolsa de Lisboa negoceia em alta, estando o PSI-20 a subir 0,16% para 5.314,51 pontos, com nove empresas em alta, sete em queda e duas inalteradas.

Entre as restantes praças europeias não se verifica uma tendência definida, estando o índice que agrega as 600 maiores empresas do Velho Continente, o Stoxx 600, a ceder 0,09%. Este comportamento das praças do continente europeu surge depois de a Coreia do Norte ter admitido que pode lançar uma bomba nuclear de hidrogénio no oceano Pacífico.

O ministro dos Negócios Estrangeiros norte-coreano disse hoje que o seu país poderá lançar, como forma de teste, uma bomba nuclear de hidrogénio para o oceano Pacífico, como parte da "resposta ao mais alto nível" contra os EUA. "Poderá tratar-se da mais poderosa das detonações de uma bomba H no Pacífico", disse Ri Yong-ho aos órgãos de comunicação sul-coreanos no hotel em Nova Iorque, onde se encontra para assistir à 72.ª Assembleia Geral da ONU.


Ri respondia assim a uma questão sobre a mensagem do líder Kim Jong-un que, em declarações recolhidas pouco antes pelos média norte-coreana, advertiu o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que iria pagar muito caro pelo seu "excêntrico" discurso perante a ONU, no qual ameaçou destruir totalmente a Coreia do Norte.


Olhando para a Zona Euro, esta manhã foi divulgado que o índice PMI da Zona Euro – que mede a actividade da indústria e dos serviços – subiu de 55,7 pontos, em Agosto, para 56,7 pontos, em Setembro.

Nota ainda nos mercados europeus para as acções da L’Oréal, que negociaram já no valor mais elevado em sete anos, animadas pela especulação que a empresa de cosméticos pode recomprar a participação que a Nestlé tem na L’Oréal, após a morte de Liliane Bettencourt, herdeira da empresa de cosméticos.

Em Lisboa, destaque para as acções da Galp, Ibersol e Pharol.

Na energia, a Galp soma 1,44% para 14,745 euros, numa altura em que o Brent do Mar do Norte, referência para o mercado nacional, ganha uns ligeiros 0,09% para 56,48 dólares por barril. Porém, entre as outras restantes cotadas do sector a tendência é distinta. A EDP desce 0,43% para 3,211 euros e a EDP Renováveis cede 0,14% para 7,189 euros. E a REN segue inalterada nos 2,748 euros.

A Ibersol sobe 2,73% para 13,15 euros.


A Pharol valoriza 2,60% para 35,5 cêntimos. A Nos aprecia 0,79% para 5,37 euros e os CTT, por outro lado, deslizam 0,14% para 5,089 euros.

A Mota-Engil ganha 0,85% para 2,951 euros e contribui também para o comportamento positivo do índice nacional.

A travar maiores ganhos em Lisboa estão títulos como os da Jerónimo Martins, que descem 0,45% para 16,48 euros. Já a concorrente Sonae segue no verde, ganhando 0,20% para 99,9 cêntimos.

A Semapa desce 0,39% para 15,35 euros e a Navigator perde 0,25% para 4,038 euros. Já a Altri ganha 0,27% para 4,136 euros.




pub