Bolsa Galp sobe 1,5% e impulsiona bolsa

Galp sobe 1,5% e impulsiona bolsa

A bolsa nacional iniciou a sessão em alta, num dia marcado pela apresentação de resultados da Galp Energia.
A carregar o vídeo ...
Sara Antunes 31 de julho de 2017 às 08:09
O PSI-20 sobe 0,26% para 5.186,41 pontos, numa altura em que 10 cotadas sobem, sete caem e duas seguem inalteradas. 

A marcar o arranque da sessão está a apresentaçao dos resultados da Galp Energia, que reportou um aumento de lucros de 1% para 250 milhões de euros no primeiro semestre do ano. E revelou que está a elevar as suas estimativas para o EBITDA deste ano, depois de ter fechado os primeiros seis meses com um EBITDA de cerca de 900 milhões de euros, quando a previsão para o acumulado do ano é entre 1,5 e 1,6 mil milhões de euros. A petrolífera não adianta novas estimativas, apenas indicando que prevê um valor mais elevado. 

As acções da Galp Energia sobem 1,49% para 13,59 euros.

Ainda na energia, a EDP sobe 0,13% para 2,971 euros, enquanto a EDP Renováveis cai 0,06% para 6,755 euros, naquela que é a última sessão para os investidores que aceitaram participar na oferta pública de aquisição (OPA) da eléctrica mudarem de ideias e revogarem as ordens de venda. A operação deverá terminar no dia 3 de Agosto, ainda que possa ser prolongado o prazo. A contrapartida oferecida é de 6,75 euros, sendo que a empresa liderada por Manso Neto continua a negociar acima da oferta.

 

A contribuir para a subida da bolsa está também o BCP, ao avançar 0,58% para 0,2425 euros, enquanto as unidades de participação do Montepio recuam 0,20% para 1,00 euro, numa altura em que decorre a oferta pública de aquisição, com a contrapartida a ser precisamente de 1,00 euro.

 

Destaque ainda para as acções dos CTT, que sobem 0,49% para 5,55 euros, no dia em que também revelará os seus resultados do primeiro semestre. Números que serão conhecidos após o fecho da bolsa. 

Já a Semapa desce 1,51% para 16,34 euros, depois de ter apresentado os seus resultados do primeiro semestre do ano na sexta-feira, já após o fecho do mercado. A Semapa lucrou 43,4 milhões de euros, menos 8,3% que em período homólogo do ano anterior. Os cimentos contribuíram negativamente para os resultados da empresa de Pedro Queiroz Pereira. Os resultados da Semapa referentes ao segundo trimestre do ano "ficaram em linha com as nossas estimativas, apoiadas no crescimento do EBITDA da Navigator, mas o EBITDA da actividade de cimento ficou ligeiramente abaixo, o que foi desapontante", destaca o analista Nuno Estácio do Haitong.

 

"As nossas principais dúvidas são porque é que a recuperação da actividade em Portugal falhou em materializar ao nível do EBITDA", acrescenta o mesmo analista, que acrescenta que "a Semapa é um activo valioso mas, até que o negócio do cimento melhore, não acreditamos que o desconto [a que negoceia a holding] desça muito mais".


(Notícia actualizada com mais informação)