Bolsa Ganhos da energia ofuscam queda do BCP e levam PSI-20 para terreno positivo

Ganhos da energia ofuscam queda do BCP e levam PSI-20 para terreno positivo

A bolsa de Lisboa terminou o dia em terreno positivo, impulsionada pelos ganhos do sector energético. Contudo, em destaque pela negativa esteve o BCP, que registou uma queda acentuada. No resto da Europa, o sentimento é de ganhos.
Ana Laranjeiro 13 de dezembro de 2016 às 16:43

A bolsa de Lisboa terminou a segunda sessão da semana em alta e em linha com as restantes praças europeias. O PSI-20 subiu 0,26% para 4.649,07 pontos, com dez cotadas em alta e oito em queda.

A evolução dos índices no Velho Continente tem lugar numa altura em que os investidores avaliam o plano de restruturação do italiano Unicredit. O maior banco italiano avança com um aumento de capital de 13 mil milhões de euros, tal como já tinha sido noticiado. O plano de reestruturação inclui a eliminação de mais 6.500 postos de trabalho, o que eleva para 14 mil no total.

Além disso, começa hoje e termina amanhã o encontro da Reserva Federal norte-americana. Os investidores estão na expectativa de que a autoridade monetária anuncie na quarta-feira uma subida da taxa de juro directora. Os economistas inquiridos pela Bloomberg apontam para uma probabilidade de 100% de a Reserva Federal norte-americana decidir aumentar os juros nesta reunião.

Por cá, destaque para os títulos do sector energético. No grupo EDP, a casa-mãe subiu 1,77% para 2,875 euros e a EDP Renováveis valorizou 2,34% para 5,99 euros. A Galp Energia somou 1,25% para 14,22 euros, isto numa altura em que os preços do petróleo estão em queda ligeira nos mercados. O Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, escorrega 0,18% para 55,59 dólares por barril.

A REN apreciou 1,53% para 2,653 euros. Em alta, estiveram também os títulos dos CTT que avançaram 1,70% para 6,09 euros.

A Jerónimo Martins somou 0,66% para 15,33 euros. E a concorrente Sonae cedeu 0,24% para 83,4 cêntimos, num dia em que o CaixaBI emitiu uma nota em que revê o preço-alvo da cotada. A Corticeira Amorim subiu 1,27% para 8 euros.

A travar maiores ganhos da bolsa nacional estiveram as acções do BCP. Os títulos do banco liderado por Nuno Amado terminaram a sessão a tombar 12,38% para 1,1305 euros, registando a maior queda desde Agosto de 2014 devido à saída do Sabadell do capital do banco.

O BPI fechou o dia também no vermelho, recuando 0,09% para 1,129 euros. Por esta altura, o mercado sabe já que os accionistas do banco aprovaram a venda de 2% do Banco do Fomento Angola à Unitel. O banco português perde o controlo da instituição financeira angolana mas consegue responder às exigências do Banco Central Europeu.

A Nos desvalorizou 0,31% para 5,538 euros. A Pharol caiu 3,03% para 19,2 cêntimos.


(Notícia actualizada às 16:53)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.12.2016

Não seria mais ao contrário? Queda do BCP ofusca ganhos da energia!

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub