Bolsa Ganhos do petróleo dão sinal mais a Wall Street

Ganhos do petróleo dão sinal mais a Wall Street

A somar mais de 1,5% nos mercados internacionais, o preço do petróleo influenciou as valorizações das energéticas em Nova Iorque. A influenciar as negociações estiveram ainda o Livro Bege e a época de resultados.
Ganhos do petróleo dão sinal mais a Wall Street
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 19 de Outubro de 2016 às 21:36

As praças accionistas de Nova Iorque terminaram a sessão desta quarta-feira com ganhos generalizados, impulsionadas pelas valorizações das cotadas do sector energético e enquanto os investidores digerem as conclusões do Livro Bege da Reserva Federal norte-americana.

O industrial Dow Jones e o S&P 500 encerraram ambos com ganhos de 0,22% (para 18.202,62 pontos no caso do índice industrial e para 2.144,29 pontos no caso do mais representativo de Wall Street), enquanto o tecnológico Nasdaq registou a valorização mais tímida: 0,05% para 5.246,41 pontos.

Numa sessão em que os preços do petróleo negociaram em níveis máximos de 15 meses, títulos como a Exxon Mobil (mais 0,46%) ou a Royal Dutch Shell (0,79%) destacaram-se entre as cotadas em alta, depois de terem sido conhecidos dados que apontam para uma queda dos stocks de ouro negro nos EUA e de a Arábia Saudita ter admitido que há vários países a quererem juntar-se à OPEP no esforço de contenção da produção.

O valor do barril de Brent (padrão para as compras portuguesas) ganha 1,63% para 52,52 dólares enquanto em Nova Iorque o West Texas Intermediate avança 2,13% para 51,36 dólares a unidade, em máximos de Julho de 2015.

A horas do debate final entre os dois principais candidatos presidenciais – Hillary Clinton, que leva vantagem nas sondagens, e Donald Trump – o Livro Bege da Reserva Federal hoje conhecido aponta para as interrogações que o desfecho das eleições pode trazer.

"Contactos em vários sectores apontam a eleição presidencial como uma fonte de incerteza no curso prazo, adiando algumas decisões de negócio", refere o Livro Bege, que acrescenta que a economia norte-americana manteve um ritmo consistente de crescimento no trimestre entre Agosto e Outubro.

As negociações reflectiram também o início da época de resultados trimestrais nos EUA, com o Morgan Stanley (a valorizar 1,89%) e a Halliburton (a disparar mais de 4%) a beneficiarem em bolsa de dados melhor do que o esperado pelos analistas. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub