Bolsa Gestora de activos espanhola compra 3,5% da F. Ramada

Gestora de activos espanhola compra 3,5% da F. Ramada

A F. Ramada alienou praticamente 10% do seu capital na terça-feira. No mesmo dia, a gestora de activos Magallanes Value Investors comprou 3,5%. O investimento terá superado os 6,2 milhões de euros.
Gestora de activos espanhola compra 3,5% da F. Ramada
Diogo Cavaleiro 27 de julho de 2017 às 20:36

A F. Ramada passou a ter um accionista qualificado para além dos donos tradicionais. A entrada da espanhola Magallaes Value Investors na estrutura accionista coincidiu com a venda de acções próprias promovida pela empresa de aço na terça-feira.

 

A gestora de activos espanhola, fundada por Iván Martín, comprou 894.128 acções da F. Ramada, tendo ficado com uma participação de 3,487% da empresa de aço e sistemas de armazenagem, que partilha parte da composição accionista com a Cofina, proprietária do Negócios.

 

A empresa sediada em Madrid ultrapassou a barreira dos 2% – aquela que obriga à comunicação oficial ao regulador dos mercados – na terça-feira, 25 de Julho. Foi nesse mesmo dia que a F. Ramada, dirigida por João Borges de Oliveira, vendeu acções próprias, representativas de 9,99% do seu capital, a investidores institucionais.

 

A alienação foi concretizada a 7,03 euros, pelo que, se a Magallaes Value Investors adquiriu a posição directamente à F. Ramada, o investimento superou os 6,2 milhões de euros. Para a empresa portuguesa, que resultou de uma cisão da Altri, a operação representou um encaixe de 18 milhões - isto dias depois de ter alienado, por 40 milhões, a posição que tinha na Base Holding.

 

"Com esta operação a Ramada Investimentos vai aumentar o ‘free float’ e a liquidez do título F. Ramada. A conjugação destes dois factores irá permitir alargar a base de investidores bem como possibilitar a entrada de novos accionistas institucionais", afirmava João Borges de Oliveira na terça-feira. 


A gestora de activos com sede em Espanha passa, agora, a ser accionista de uma empresa (através de dois fundos) em que as restantes participações qualificadas são atribuídas a investidores portugueses.

 

A Caderno Azul, de João Borges de Oliveira, detém 20,67% da F. Ramada, sendo que Ana Menéres de Mendonça, através da Promendo, controla 19,29% da empresa. A Actium Capital, de Paulo Fernandes, tem 15,64% dos direitos de voto, acima dos 12,16% da Livrefluxo, liderada por Domingos Vieira de Matos. Pedro Borges de Oliveira, através da 1 Thing Investments, é proprietário de 8% da empresa industrial. Todos estes empresários são accionistas da Cofina, a proprietária do Negócios. 

Na sessão desta quinta-feira, as acções da F. Ramada, que apresentou um crescimento de 23% dos lucros para 5,77 milhões de euros no primeiro semestre, fecharam a perder 1,47% para valerem 8,05 euros, acumulando um ganho de 57% desde o início do ano. 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub