Obrigações Grécia pretende fazer uma troca de dívida no valor de quase 30 mil milhões de euros

Grécia pretende fazer uma troca de dívida no valor de quase 30 mil milhões de euros

Atenas pretende realizar uma troca de dívida no valor de 29,7 mil milhões de euros. O objectivo é impulsionar a liquidez no país e facilitar a venda de novas obrigações no futuro.
Grécia pretende fazer uma troca de dívida no valor de quase 30 mil milhões de euros
Ana Laranjeiro 01 de novembro de 2017 às 11:46

Nos últimos anos, a crise da dívida soberana fez correr muita tinta. A Grécia foi um dos protagonistas, ainda que não o único, desta crise. E por várias semanas a situação da República Helénica fez manchete na imprensa internacional. Atenas volta a ser notícia agora mas por estar a tentar proceder a uma operação de troca de dívida.

De acordo com a Bloomberg, o Governo de Alexis Tsipras está a planear realizar uma troca de dívida sem precedentes, no valor de 29,7 mil milhões de euros. O objectivo desta operação é aumentar a liquidez e facilitar futuras emissões de obrigações helénicas.

Esta operação poderá realizar-se em meados deste mês e as autoridades locais planeiam realizar a troca de cerca de duas dezenas de linhas de obrigações, isto depois da reestruturação de dívida levada a cabo em 2012, junto dos credores privados. A maturidade dos novos títulos de dívida será a mesma dos actuais, ou seja, podem ir de 2023 a 2042.

Os analistas do Pantelakis Securities em Atenas, citados pela agência de informação, adianta que esta operação "visa abordar a iliquidez do mercado de obrigações gregas". Também vai estabelecer "uma curva da yield decente e assim facilitar o regresso do país aos mercados de dívida pública".

Esta operação, a concretizar-se, vai realizar-se numa altura em que a Grécia se prepara para a saída do programa de ajustamento, o terceiro, e que termina em Agosto do próximo ano. É que com este passo, o tesouro helénico procura tentar recuperar o acesso total ao mercado de dívida e assim evitar receber um novo programa de resgate. Atenas procurará no próximo ano levantar pelo menos seis mil milhões de euros de forma a criar uma almofada financeira para honrar os compromissos que tem, segundo fonte governamental citada pela Bloomberg.

Portugal também já realizou operações de troca de dívida. Ainda no final de Agosto, o tesouro português lançou uma operação de troca de obrigações, recomprando Obrigações do Tesouro (OT) com maturidades em 2018, 2019 e 2020 em troca de novos títulos com prazo em 2022.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 2 semanas

Nos ca temos a casalinho.Sera qe os gregos nao arranjarao por la uma casalotes.Eles tem que ver como se faz em portugal,aqui a casalinho vende o mesmo saco de batatas milhentas vezes,como e possivel nao me perguntem,mas fica a ideia que e assim que funciona.

Anónimo Há 2 semanas

Trocam mas ficam com a mesma divida a pagar doutra forma ,por outras palavras o asunto é a sétrio ou só para gastar mais agora em algo sem retorno e sem promover crescimento económico, como suspeito que é o que está a acontecer em Portugal.O assalto em Portuga é assumido pelos radicais da ARepubl

Anónimo Há 2 semanas

Coitados dos Gregos! Andam a tentar fugir à lei da gravidade. Mas até Agosto os credores europeus vão ter de dizer ao FMI o que farão para tornar a dívida grega sustentável. E não será certamente com fantasias financeiras como a troca de títulos de dívida.