Bolsa Grupo EDP e retalho ditam queda ligeira da bolsa nacional

Grupo EDP e retalho ditam queda ligeira da bolsa nacional

A praça de Lisboa começou a última sessão da semana em queda, penalizada pelas cotadas do grupo EDP e pelas acções do sector do retalho. Entre as restantes bolsas do Velho Continente, o sentimento é de ganhos.
A carregar o vídeo ...
Ana Laranjeiro 20 de outubro de 2017 às 08:15

A bolsa nacional começou a última sessão da semana em queda ligeira, numa altura em que as restantes praças europeias estão do lado dos ganhos. O PSI-20 desce 0,07% para 5.456,47 pontos, com 10 empresas em alta, seis em queda e duas inalteradas.

A marcar o dia nos mercados está a aprovação, esta madrugada, da proposta orçamental nos EUA para o próximo ano, que prevê também acrescentar 1,5 biliões de dólares ao longo da próxima década ao défice federal para suportar os cortes de impostos propostos pela administração Trump. Uma expectativa que tem vindo a sustentar recordes consecutivos nos índices accionistas norte-americanos. 

Ainda a condicionar poderá estar a realização da cimeira europeia que debate o Brexit. Não são esperados avanços significativos, mas o mercado deverá prestar atenção às declarações dos vários líderes europeus para tentarem encontrar pistas sobre o futuro das negociações entre Bruxelas e Londres.

Ainda em termos de política internacional, a Catalunha continua a concentrar muita atenção. Depois de Madrid ter já anunciado que vai avançar com o artigo 155.º da Constituição, que prevê a suspensão da autonomia e convocação de eleições regionais antecipadas, os investidores estão cautelosos para perceber como vão ser os desenvolvimentos. Isto, num dia em que a Moody’s deverá publicar um relatório sobre o "rating" de Espanha.

A época de apresentação de resultados prossegue. Não está previsto que em Portugal alguma empresa apresente hoje as suas contas, mas ao nível europeu várias companhias revelam hoje os seus números. A Daimler, a dona da Mercedes-Benz, revelou já esta manhã uma queda dos resultados no terceiro trimestre.

Em Lisboa destaque para as acções do grupo EDP e do sector do retalho. A EDP perde 0,33% para 3,01 euros e a EDP Renováveis desvaloriza 0,85% para 7,021 euros. A REN cede 0,07% para 2,68 euros. Já a Galp Energia segue em alta ligeira, ganhando 0,03% para 15,73 euros, numa altura em que os preços do petróleo estão em alta nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, sobe 0,45% para 57,49 dólares por barril.

No retalho, a Jerónimo Martins, que apresenta as suas contas na próxima semana, desce 0,67% para 15,565 euros e a Sonae cede 0,19% para 1,026 euros.

A Pharol recua 0,43% para 46 cêntimos. A Nos desliza 0,02% para 5,295 euros.


A travar uma queda mais pronunciada da bolsa nacional estão nomeadamente as acções do BCP, que sobem 0,43% para 25,8 cêntimos.


No sector da pasta e do papel, a Altri cresce 0,93% para 5,43 euros, a Semapa sobe 0,20% para 17,145 euros e a Navigator avança 0,23% para 4,333 euros.

 
(Notícia actualizada às 08:20)




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado ofon Há 2 dias

Quanto ao Sousa, é das pessoas mais assertivas deste fórum... e, com respeito, vai dando a sua leitura do tema, e opinião construtiva, que provavelmente se mantém há algum tempo. Continue assim!

comentários mais recentes
andam a REINAR com o MILENIUM BCP Há 1 dia

MAS 2 feira já não brincam porque hoje ás 21h00 a DBRS vai voltar a subir os RATINGS de PORTUGAL e do MILENIUM BCP e também para a semana o BCE vai subir os juros e não mais irão parar de subir

ofon Há 2 dias

Quanto ao Sousa, é das pessoas mais assertivas deste fórum... e, com respeito, vai dando a sua leitura do tema, e opinião construtiva, que provavelmente se mantém há algum tempo. Continue assim!

Anónimo Há 2 dias

O Sousa devia ser mais inventivo repete-se muito

Mota Engil é o futuro Há 2 dias

Esta cotada é das poucas do psi20 que mais condições tem para crescer exponecialmente a curto/médio e longo prazo. Esta empresa está cheia de empreitadas e irá anunciar muitas mais a curto prazo. Altista em todos os prazos de análise esperando-se que cote a 4,50 já em dezembro e 6 antes dividendos!

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub