Bolsa Grupo ETE admite entrada na bolsa nacional

Grupo ETE admite entrada na bolsa nacional

O Grupo ETE quer expandir a actividade na América Latina e uma das opções em estudo para obter fundos para acelerar essa estratégia passa por uma entrada em bolsa.
Grupo ETE admite entrada na bolsa nacional
Rui Barroso 22 de dezembro de 2016 às 07:00
O Grupo ETE quer expandir a actividade na América Latina e uma das opções em estudo para obter fundos para acelerar essa estratégia passa por uma entrada em bolsa. O presidente-executivo da empresa de transporte e logística  marítima e fluvial referiu, em declarações à Reuters, que uma oferta pública inicial era uma das opções. A outra seria a entrada de um investidor financeiro sem recurso ao mercado.

"É improvável que aconteça em 2017, mas isso [oferta pública inicial] pode acontecer. Estamos prontos para isso. E  poderá acontecer em Portugal se o mercado se tornar mais activo", disse Luis Nagy à agência financeira. O líder da empresa explicou que a reorganização no grupo, que criou ‘subholdings’ para a área portuária e de transportes marítimos, foi já uma preparação para a entrada de investidores. E aponta o Uruguai, Paraguai e Colômbia como as oportunidades de expansão, admitindo que a estratégia poderá passar por aquisições.

Além do recurso ao mercado, o grupo ETE  trabalha também num cenário em que possa acolher um investidor financeiro ou estratégico. "Podemos ter um parceiro financeiro que queira investir ou um parceiro de negócios, seja em Portugal ou na América Latina".

Segundo a Reuters, o grupo ETE teve receitas de 195 milhões de euros e um lucro de 11 milhões em 2015.

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
saraiva14 22.12.2016

195 milhões de receitas e lucros de 11 milhões é pouco para atrair investidores externos ou exteriores!

pub
pub
pub
pub