Bolsa Grupo EDP afunda em bolsa desde o início da semana

Grupo EDP afunda em bolsa desde o início da semana

Na segunda-feira, o Negócios noticiou que o Governo prepara uma renovada tributação sobre o sector energético. A EDP cedeu 6% desde aí, a Renováveis 5%. Quedas mais pronunciadas do que o PSI-20 e que as energéticas europeias.
Grupo EDP afunda em bolsa desde o início da semana
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 06 de Outubro de 2016 às 12:33

O Grupo EDP está em forte queda esta semana na Bolsa de Lisboa. Tanto a casa-mãe como a empresa de energias verdes são as cotadas que mais deslizam no índice de referência PSI-20. E também cedem mais do que as congéneres europeias.

 

Na passada segunda-feira, o Negócios noticiou que, além do pacote de medidas já acordadas pelo Governo com o Bloco de Esquerda para o Orçamento do Estado para o próximo ano avaliadas em 100 milhões de euros, há ainda uma outra que pode render mais 50 milhões de euros. Em causa está o alargamento da Contribuição Extraordinária sobre o Sector Energético (CESE) às energias renováveis, que pode então ser incluído no documento que estará fechado a 14 de Outubro.

 

Desde aí, as energéticas têm recuado. Logo na segunda, a eléctrica liderada por António Mexia (na foto) caiu mais de 2%. Estão a ser quatro dias seguidos a cair, que resultam numa desvalorização total de 6%. A EDP segue, esta quinta-feira, a cotar em 2,803 euros.  

 

A EDP Renováveis, comandada por João Manso Neto, tem uma queda mais ligeira, na ordem dos 5%, que a levou a negociar nos 6,787 euros por acção. Os produtores de electricidade a partir de fontes renováveis já vieram contestar a eventual medida, dizendo que já a pagam 50 milhões às autarquias para abater a dívida tarifária, mas não impediram quatro sessões a perder terreno para a EDP Renováveis.

 

Ambas as cotadas do grupo EDP estão nos valores mais baixos desde Julho e seguem na linha da frente das quedas do PSI-20 que, desde segunda-feira, perde 1,1%. Foram dois dias a subir e dois a cair. O mesmo desempenho que o índice Stoxx Europe 600.

Esta tendência negativa em Portugal é mais intensa do que a que acontece nas empresas do sector da energia europeu que, contudo, não estão a ter uma semana fácil: a queda do índice europeu para as "utilities" foi de 3,4%, com a EDP a marcar a segunda descida mais pronunciada. Em Portugal, a REN teve três dias negativos e um inalterado, perdendo 3% na semana. 




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
10011949 Há 4 semanas

VENDER, VAI BATER NOS 2.50 EUROS. SEGUNDO ESPECIALISTAS,

Juca Há 4 semanas

Não admira. Com inaugurações faustosas e fundações amistosas para fugir garbosamente ao fisco é natural que tal aconteça. Os investidores desconfiam.

Anónimo Há 4 semanas

Antigamente a SONAE SGPS era um espelho da bolsa.Agora o espelho partiu-se e a SONAE SGPS,foi para o LIXO,a sua cotação está toda estilhaçada.

Anónimo Há 4 semanas

A maior lastima SONAE SGPS!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub