Obrigações Há quase 10 biliões de dólares em obrigações com taxa negativa

Há quase 10 biliões de dólares em obrigações com taxa negativa

Apesar da normalização da política monetária por parte dos bancos centrais, o volume de obrigações soberanas com rendibilidades negativas continua a crescer.
Há quase 10 biliões de dólares em obrigações com taxa negativa
Negócios com Bloomberg 13 de dezembro de 2017 às 09:57

O montante de obrigações soberanas com "yields" negativas está próximo dos 10 biliões de dólares, um valor que representa um aumento apesar de a tendência da política monetária dos bancos centrais ter mudado.

 

As estimativas da agência de notação financeira Fitch apontam para que existam actualmente 9,7 mil milhões de dólares (8,2 biliões milhões de euros) em títulos de dívida soberana com rendibilidades negativas, um montante superior aos 9,3 biliões de dólares (7,9 biliões de dólares) registados há um ano.

 

De acordo com a Bloomberg, este incremento está relacionado sobretudo com a desvalorização do dólar, que inflacionou o valor dos títulos europeus.  

 

O montante dos títulos com taxa negativa, que é equivalente a cerca de dois terços do mercado de obrigações soberanas dos EUA, deve-se sobretudo aos títulos europeus e nipónicos. As taxas negativas nestas regiões levaram os investidores a aumentar a procura por obrigações soberanas noutros mercados, o que pressionou em baixa as taxas de juro a nível global.

 

"Apesar de as ‘yields’ de longo prazo nos Estados Unidos permanecerem baixas, persistem bem acima do registado na Zona Euro", salientam os analistas da Fitch.

 

As taxas de juro das obrigações soberanas em muitos países da Zona Euro estão no nível mais reduzido do ano, apesar de o Banco Central Europeu ter dado passos no sentido de normalizar a sua política monetária, com a redução do pacote de compras de activos e a economia estar a crescer ao ritmo mais forte dos últimos anos.

 

"Estas alterações não se materializaram em ‘yields’ mais elevadas nas obrigações soberanas de longo e curto prazo na Zona Euro", acrescenta a agência de notação financeira.

 

Na dívida alemã, que serve de referência na Europa, as taxas estão negativas nas maturidades inferiores a oito anos. Em Portugal os investidores suportam rendibilidades negativas para comprar dívida até três anos.




pub