Research Haitong antecipa más notícias para a EDP vindas de Espanha

Haitong antecipa más notícias para a EDP vindas de Espanha

Uma decisão governamental sobre energia nuclear é negativa para a EDP, segundo o Haitong Bank. A casa de investimento acredita também que o novo leilão de energias renováveis vai favorecer a origem solar, menos favorável para a portuguesa.
Haitong antecipa más notícias para a EDP vindas de Espanha
Miguel Baltazar
Diogo Cavaleiro 26 de maio de 2017 às 09:37

Energia nuclear e energia solar. Estes são dois campos que, de acordo com a opinião do analista Jorge Guimarães, do Haitong Bank, trazem esta sexta-feira considerações negativas para a EDP.

 

Energia nuclear

 

O El Economista avança que o Ministério espanhol da Energia prepara uma alteração legislativa para que as eléctricas tenham um prazo de dois anos para decidirem o que fazer às suas centrais nucleares, menos um do que o actualmente exigido. Uma decisão que, à partida, retira pressão sobre a decisão que tinha de ser tomada sobre Almaraz, cuja autorização para funcionamento termina em 2020. 

 

Segundo a unidade de investimento do Haitong, este factor é "muito importante para a perspectiva a longo prazo do sistema eléctrica nacional, tendo provavelmente um grande impacto sobre as previsões, igualmente de longo prazo, dos preços da energia".


Por isso, há vencedores e vencidos caso se concretize esta decisão que prevê que as decisões sobre os futuros das eléctricas tenham de ser tomados dois anos, e não três, antes do fim da autorização: a Endesa e a Iberdrola são as "vencedoras", por beneficiarem da extensão para as suas centrais; a eléctrica presidida por António Mexia (na foto), que tem apenas 15,5% da central nuclear de Trillo e que produz maioritariamente energia de outras fontes, é a "derrotada", no caso de haver o prolongamento pretendido pelo Executivo.

 

Energia solar

 

Entretanto, o primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, anunciou esta quinta-feira que vai lançar um novo leilão de energias renováveis de 3 Gigawatt (GW) ainda antes do Verão, depois de um outro leilão que teve lugar nas últimas semanas. Um campo também não favorável para a EDP.

 

O objectivo deste novo leilão será o de abrir portas à energia solar, já que o anterior ficou fechado à energia eólica. "O efeito desta segunda ronda pode ser negativo para as empresas com maior capacidade térmica (como a Gas Natural) ou com elevada alavancagem aos preços da energia devido à sua grande capacidade hídrica (como a EDP), sendo que, por outro lado, é marginalmente positiva para empresas com uma estratégia de reduzida produção/fornecimento longo, como a Endesa", continua o Haitong Bank.

 

O Grupo EDP abriu hoje com uma tendência ligeiramente negativa na bolsa nacional, com o PSI-20 a ceder 0,15%. Neste momento, a EDP perde 0,03% para 3,188 euros ao passo que a EDP Renováveis soma 0,04% para 6,975 euros.


Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 


A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
luis bernardo Há 2 dias

Embora as Centrais Nucleares (CN) sejam cada vez mais eficientes e seguras, não é credível a sua viabilidade futura (a Suiça decidiu, recentemente, desactivar 5 CN...). A opção energias renováveis, incluindo a solar é a visão estratégica mais acertada e a EDP é 3º Produtor mundial em renováveis ...

enéas Há 2 dias

O ocaso do Mexia como gestor é melancólico. Não preparou ninguém para sucedê-lo. Ao contrário, afastou seus melhores quadros da direção da empresa, para não ter concorrência. O egoísmo vai acompanhá-lo. Que futura administração faça uma rigorosa auditoria, na rubrica publicidade, principalmente.

Anónimo Há 2 dias

Já me tinhas dito. E fornece esta previsão sem cobrar nenhuma comissão. A continuar assim não vejo grande futuro ao Haitong.

pub