Research Haitong corta avaliação da Altri em mais de 12%

Haitong corta avaliação da Altri em mais de 12%

O banco de investimento reviu em baixa a sua avaliação da Altri, cujo preço-alvo é penalizado por ser expectável que a subida dos preços da pasta de papel esteja perto do fim, ao mesmo tempo que o euro está a fortalecer-se contra o dólar, algo negativo para esta cotada.
Haitong corta avaliação da Altri em mais de 12%
Miguel Baltazar/Negócios
Sara Antunes 30 de junho de 2017 às 09:01

O Haitong cortou em 12,7% a avaliação da Altri para 4,70 euros, um valor que está em linha com a actual cotação da empresa co-liderada por Paulo Fernandes (à frente da Cofina, dona do Negócios), o que justifica a redução da recomendação de "comprar" para "neutral".

 

Um dos factores que faz com que esta casa de investimento corte a avaliação da Altri está relacionado com o desconto do dividendo, pago em Maio. Recorde-se que a empresa pagou 0,25 euros por título aos seus accionistas.

 

"Apesar dos preços da pasta de papel estarem mais altos do que antecipávamos na última nota (de Abril), não vemos este fortalecimento como sustentável" por muito mais tempo, salienta o analista Nuno Estácio num "research" publicado esta sexta-feira, 30 de Junho.

 

"Vemos alguns sinais que sugerem que a subida de preços na pasta pode estar a atingir o limite", adianta o analista. Além de em 2018 o mercado receber mais matéria, uma vez que a Fibria vai abrir uma nova fábrica. O banco de investimento não prevê uma queda abrupta de preços, devido ao aumento da oferta, mas considera que mais subidas não serão viáveis.

 

A casa de investimento reflectiu ainda, na nova avaliação, a valorização do euro contra o dólar. Se nos últimos anos o sector beneficiou do enfraquecimento do euro, este ano está a ser penalizado pela inversão desta tendência.

 

A "Altri foi também penalizada pela queda na dissolução dos preços da pasta", salienta a mesma fonte.


Quanto aos resultados da empresa, o Haitong considera que estes continuarão a "sustentar" as acções, mas "as avaliações já parecem demasiado caras" para que a recomendação seja mantida em "comprar", explica a mesma nota.

 

As acções da Altri descem 0,56% para 4,096 euros. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ALERTA Há 2 semanas

a Altri quando cai, navigator cai também por arrastamento, é o que vai acontecer, a Navigator segunda feira abre com uma correção de 11 cêntimos, ajustamento do (dividendo) hoje é dia de vender, e comprar depois, ao menos o Estado não fica com os 28%

RESULTADOS MILENIUM POLACO UPA UPA Há 2 semanas

será que todos aqueles que andavam a MARRAR o MILENIUM BCP para BAIXO : será que já TODOS PARTIRAM os CORNOS !!!

Apostador Há 2 semanas

ESTA GENTE DEVIA SER PROIBIDA DE DAR PALPITES. UNS DIZEM QUE A PASTA SOBE OUTROS CHEGOU AO LIMITE. HAJA MESMO PACIENCIA, PARA MIM NEM UMA NEM OUTRA. E SAIR E ENTRAR EM NOVEMBRO,

Menoli Há 2 semanas

Estes tipos dos haitogs deviam era ir levar onde levam as galinhas. Querem dominar o galinheiro com as suas sugestões.

ver mais comentários
pub