Research Haitong corta avaliação da Jerónimo Martins

Haitong corta avaliação da Jerónimo Martins

O Haitong decidiu retirar 30 cêntimos à avaliação da Jerónimo Martins após os resultados do terceiro trimestre.
Haitong corta avaliação da Jerónimo Martins
Ricardo Castelo
Sara Antunes 26 de outubro de 2017 às 08:40

A Jerónimo Martins revelou uma quebra de lucros de 43% nos primeiros nove meses do ano, para um total de 285 milhões de euros, em linha com as estimativas dos analistas.

 

O Haitong considera que a Jerónimo Martins apresentou um conjunto de resultado em linha com as estimativas dos analistas, não reportando qualquer surpresa. Os supermercados na Polónia continuam a ser a estrela da companhia, ainda que os números revelados tenham levado esta casa de investimento a cortar as previsões de EBITDA, em média, em 1% para o período 2017 a 2019.

 

Já no que respeita a Portugal, o Haitong destaca o enfraquecimento da margem de EBITDA, com os números do terceiro trimestre a levarem a casa de investimento a rever em baixa em 20 pontos base a margem de EBITDA para 2017-2019.

 

Em relação à Colômbia, a Ara registou uma melhoria do EBITDA que superou as previsões desta casa de investimento.

 

Estas questões levaram a que o Haitong revisse a avaliação da Jerónimo Martins em 30 cêntimos, ou 1,79%, para 16,50 euros, um valor que confere às acções um potencial de subida de 5,13% face à actual cotação (15,695 euros).

 

CaixaBI: "Jerónimo Martins reportou uma evolução de vendas muito sólida"

 

"A JM reportou uma evolução de vendas muito sólida, ainda que sem desvios materiais face às estimativas", realça o analista André Rodrigues numa nota de análise a que o Negócios teve acesso.  

 

"As vendas da Biedronka foram (novamente) uma surpresa positiva com um crescimento de vendas de LfL de 8,9% no terceiro trimestre (vs. estimativa de 7,0%). Esta evolução gera condições para uma potencial revisão de estimativas ao nível das vendas, sobretudo se o desempenho do quarto trimestre (um trimestre exigente em termos de comparáveis), também superar o nosso cenário base", admite o analista.


Nota:
A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Convém não esquecer que o resgate externo ao excedentarismo e sobrepagamento na banca e no sector público (contribuinte)-dependente em sentido estrito, foi facultado sob condição de se fazerem urgentes e necessárias reformas em termos de mercado de bens e serviços e de factores, incluindo o de capital e o laboral, de modo a que uma correcta e adequada política de gestão de recursos humanos nas organizações portuguesas passasse a ser a norma e não a excepção. Mas para que tal aconteça, toda a corrupção e tráfico de influências que sustentam e alimentam o status quo íniquo e insustentável terão de ser combatidas eficazmente.

joaoferreira1 Há 3 semanas

Resultados "muito maus" - 43% em comparação com uma mais valia não repetível de venda de 1 ativo. 289 milhões d elucro até agora...polónia a bombar...colombia tb...Portugal devagarinho...e os resultados são maus.

Gutu Há 3 semanas

LÁ VAO OS FUNCIONARIOS PAGAR AS FAVAS

J. MARTINS , a 11.90 euros Há 3 semanas

A Haitong que se cuide. porque a cotação está com um preço muito elevado, esta ação é vai derrapar bem,

pub