Obrigações IGCP levanta até 1.250 milhões em dívida de curto prazo na próxima semana

IGCP levanta até 1.250 milhões em dívida de curto prazo na próxima semana

A agência que gere o crédito público concretiza no próximo dia 19, quarta-feira, dois leilões com maturidades de três e 11 meses.
IGCP levanta até 1.250 milhões em dívida de curto prazo na próxima semana
Pedro Elias
Paulo Zacarias Gomes 13 de abril de 2017 às 12:07
O IGCP anunciou esta quinta-feira, 13 de Abril, a realização na próxima semana de leilões das linhas de Bilhetes do Tesouro com vencimento a 21 de Julho próximo (três meses) e 16 de Março de 2018 (11 meses), esperando nestas idas ao mercado levantar entre 1.000 milhões e 1.250 milhões de euros.

A data e o montante já estavam previstos no calendário anteriormente divulgado pela Agência da Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública e foram confirmados esta quinta-feira.

Na última vez que esteve no mercado em leilões destas maturidades, a 15 de Fevereiro, o Tesouro conseguiu levantar o total do montante previsto (igualmente 1.250 milhões de euros), conseguindo aí os juros mais baixos de sempre nesses prazos.

Nos títulos que vencem a três meses, arrecadou 250 milhões de euros, com um juro associado de -0,219%. A 11 meses, os 1.000 milhões de euros obtidos tiveram associada uma taxa de -0,096%.

Esta quinta-feira, em mercado secundário, as "yields" associadas aos Bilhetes do Tesouro com maturidade de três meses acompanham a tendência de queda verificada na generalidade dos prazos para a dívida portuguesa e do resto dos países do Sul do Euro, transaccionando nos -0,213%. Também negativos são os juros associados ao prazo a 12 meses (o mais aproximado do leilão de 11 meses previsto para a semana que vem), negociando nos -0,12%.

A ida aos mercados surge na semana seguinte a Portugal se ter financiado em 1.250 milhões de euros numa dupla emissão de dívida de longo prazo, a cinco e oito anos, a que esteve associada uma redução substancial dos juros.

Neste caso, para Marisa Cabrita, gestora de activos da Orey iTrade, Portugal beneficiou "da correcção observada nas 'yields' nas últimas semanas na generalidade dos países europeus bem como dos progressos em termos orçamentais reportados em 2016".

Esta será a primeira ida aos mercados depois da aprovação em Conselho de Ministros do Plano Nacional de Reformas e do Programa de Estabilidade e Crescimento, previstos para esta quinta-feira.

(Notícia actualizada às 12:23 com mais informação)



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 13.04.2017

Mais Dívida para encher o Cu a gulosos!

pub
pub
pub
pub