Obrigações IGCP mais do que duplica valor das OTRV para 1.200 milhões

IGCP mais do que duplica valor das OTRV para 1.200 milhões

O valor da emissão passa de 500 milhões para 1.200 milhões de euros. A operação decorre até ao final da próxima semana.
IGCP mais do que duplica valor das OTRV para 1.200 milhões
Pedro Elias
Patrícia Abreu 21 de julho de 2017 às 19:15

Tal como aconteceu nas anteriores operações, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) decidiu aumentar o valor da emissão de Obrigações do Tesouro de Rendimento Variável que está a decorrer até ao final da próxima semana. O montante a emitir com estes títulos de obrigações para o retalho passou de 500 milhões de euros, para 1.200 milhões.


Esta emissão de obrigações para o retalho arrancou na segunda-feira, 17 de Julho, e decorre até dia 28 de Julho, sendo que o Tesouro podia até hoje aumentar o valor da oferta caso a procura o justificasse.


A remuneração oferecida nesta operação é, contudo, a mais baixa de sempre. A taxa bruta das OTRV é de 1,6%, o que representa uma redução substancial face à remuneração das anteriores emissões. Os títulos colocados em Abril pagaram uma taxa bruta de 1,9%, já abaixo dos 2% da emissão de Novembro, dos 2,05% oferecidos na operação concluída em Agosto do ano passado e dos 2,2% na estreia destes títulos, em Março.


Apesar de a taxa ter vindo a baixar, tornando o investimento pouco atractivo para montantes de investimento mais baixos, estes títulos têm atraído grande interesse junto dos investidores nacionais. Até agora, a venda de obrigações junto de clientes particulares já permitiu ao IGCP financiar-se em 4.450 milhões de euros, com a instituição liderada por Cristina Casalinho empenhada em tornar esta uma fonte regular de financiamento.


As condições da oferta mantêm-se idênticas às operações anteriores. "As ordens de subscrição serão expressas em montante, sendo o mínimo de subscrição por investidor de 1.000 euros, correspondente a 1 OTRV, e o máximo de 1.000.000 euros, correspondente a 1.000 OTRV, devendo as ordens ser transmitidas em múltiplos de 1.000 e subscritas junto de uma instituição  de crédito", refere uma nota colocada no site do IGCP.


Acrescenta que os títulos pagam juros a "2 de Fevereiro e 2 de Agosto de cada ano, calculados a uma taxa de juro variável e igual à Euribor 6 meses acrescida de 1,60%, ocorrendo o  reembolso do capital em 2 de agosto de 2022".




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Celebrar o endividamento Há 4 semanas

Ao q isto chegou!O endividamento crescente e irresponsável é noticiado como se fosse uma coisa positiva digna d celebração.É assim a era do poder dos pulhas.

pub
pub
pub
pub