Obrigações IGCP: Nova dívida deste ano servirá para financiar 2018
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

IGCP: Nova dívida deste ano servirá para financiar 2018

O Tesouro já garantiu mais de 55% do financiamento previsto para 2017 em Obrigações do Tesouro.
IGCP: Nova dívida deste ano servirá para financiar 2018
Pedro Elias
Rui Barroso 26 de maio de 2017 às 00:01

O Estado já emitiu 8.300 milhões de euros em Obrigações do Tesouro este ano, mais de 55% da meta de 15.000 milhões prevista para a totalidade de 2017. E as próximas emissões que serão feitas este

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 01.06.2017

Que saudades de Passos Coelho de PSD, de CDS, era ver o desemprego sempre a subir, subir, subir, os cortes nos direitos sociais sempre a subir, Subir, SUBIR, que saudades daquele tempo que se via o Telejornal a Tremer, tremer, TREMER.
Este ano voltamos a ter subsídios de Férias e de Natal, certa ?

Anónimo 26.05.2017

Vamos ouvir excelentes elogios ao governo e à dívida portuguesa por parte de todas aquelas instituições que já aplicaram o dinheiro na dívida que Portugal emite. De outras instituições, que não estão a especular com a nossa dívida, os avisos e recomendações continuam enquanto se justificar. Os que já investiram têm meios ao seu dispor para especular propagandeando, tendo também muito a ganhar com o número de prestidigitação do governo das esquerdas, e agora só vão emitir comunicados favoráveis a dizer maravilhas da dívida portuguesa emitida pelas autoridades e até da genialidade do governo em funções enquanto não venderem com mais valias. Querem espalhar confiança nas políticas que nós sabemos serem erradas do governo socialista e pressionar os juros para baixo, ou seja, querem o valor dos títulos a ir para cima para venderem antes de se começar a falar novamente no novo resgate à República Portuguesa. Há muito dinheiro a ganhar com o hipotecar do futuro dos portugueses. Siga a festa.

Conselheiro de Trump 26.05.2017

Sera q por 1 vez tenho de dar razao aos radicais:economia ROBUSTA segunto o selfie refugado,mas a par da robustez portugal ainda precisa de 25.000.000.000 anuais para fazer todas as vontades aos publicos armenicos,por onde pensa o mimico aritmetico combater a diminuicao da divida publica?Tanto grego

A TANGA VAI CONTINUAR 25.05.2017

Insistem em chamar "financiamento" ao endividamento p/consumo. É a via do próximo resgate.....E já vão adiantando serviço p/continuar a mascarar o défice com a dívida.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub
pub
pub
pub