Análise Técnica IMF – Dólar canadiano pode acelerar ganhos

IMF – Dólar canadiano pode acelerar ganhos

Euro/Dólar Canadiano volta a ameaçar importante suporte. Euro/Dólar em mínimos de três semanas. Crude não dá sinais de fragilidade e ouro mantém viés de alta.
IMF – Dólar canadiano pode acelerar ganhos
Entre abril e novembro do ano passado, o dólar canadiano atravessou um período de consolidação face ao euro, maioritariamente entre C$1.42/C$1.43 e C$1.50. Este intervalo foi quebrado em baixa, em novembro, significando a retoma do movimento descendente iniciado no primeiro trimestre de 2016.
Agora poderá estar iminente um novo sinal de fraqueza por parte do Eur/Cad. Nos últimos dois meses, os C$1.38 suportaram as quedas em várias ocasiões, mas o par falhou claramente uma recuperação em alta – os C$1.43, anterior suporte, atuaram agora como resistência. Assim, neste momento os C$1.38 voltam a estar sob ameaça e, a concretizar-se a sua quebra, o Eur/Cad ficará vulnerável até à região dos C$1.34 (referência de 2015).


Euro/Dólar cai para mínimos de três semanas
O Eur/Usd registou a primeira queda semanal em 2017, caindo para mínimos de três semanas. O dólar valorizou depois de Donald Trump prometer anunciar um plano fiscal nas próximas semanas. Poderão ser finalmente revelados detalhes que o mercado aguarda desde a sua vitória nas eleições, relativamente aos estímulos fiscais a implementar.
Tecnicamente, o par foi claramente rejeitado na zona de resistência dos $1.0800/50, mantendo assim intacta a tendência principal de baixa no médio prazo. Num horizonte temporal mais curto, antecipa-se agora um teste aos $1.0580. Uma eventual quebra em baixa compromete o movimento de recuperação em alta, desenvolvido a partir dos $1.0350.


CRUDE continua em consolidação
O crude continua a negociar entre os $51 e $55, níveis que prevalecem desde meados de dezembro. No final da semana, os preços receberam um impulso depois de a Agência Internacional de Energia reportar que os membros da OPEP implementaram 90% dos cortes na produção acordados – o valor mais elevado na história dos acordos do cartel. As previsões para a procura por petróleo foram também revistas em alta.
No cenário técnico não houve alterações significativas, continuando a ser possível perspetivar um novo teste à resistência dos $55.00. O cenário de mínimos relativos cada vez mais altos mantém-se – consolidação triangular – pelo que um sinal de fraqueza surge apenas abaixo dos $51.00. Acima dos $55, o crude teria espaço para progredir até $56.50 (níveis de 2015).


OURO travado por valorização do dólar
O ouro renovou máximos de três meses, mas corrigiu sem chegar a testar a resistência dos $1250. A valorização do dólar nos últimos dias travou o ímpeto na cotação do ouro, com a perspetiva de estímulos fiscais nos EUA a penalizar também os ativos de "refúgio".
Em termos técnicos, o viés de alta no curto prazo continua válido, assim como o movimento desenvolvido desde os $1120. Este apenas ficaria colocado em causa abaixo dos $1180, ainda que um primeiro sinal de fragilidade surja em caso de quebra em baixa dos $1220. Em alta, acima dos $1250 o ouro teria espaço para fazer uma aproximação à linha de tendência descendente.


As análises técnicas aqui publicadas não pretendem, em caso algum, constituir aconselhamento ou uma recomendação de compra e venda de instrumentos financeiros, pelo que os analistas e o Jornal de Negócios não podem ser responsáveis por eventuais perdas ou danos que possam resultar do uso dessas informações. Caso pretenda ver esclarecida alguma dúvida acerca da Análise Técnica, por favor contactar a IMF ou o Jornal de Negócios.





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub