Análise Técnica IMF – PSI 20 neutraliza toada de baixa

IMF – PSI 20 neutraliza toada de baixa

Forte impulso em alta pode agora abrir espaço a consolidação junto à resistência dos 5350 pontos. Eur/Usd mantém-se na zona de $1.20. Crude e ouro prolongam ganhos e perdas, respetivamente.
IMF – PSI 20 neutraliza toada de baixa
Após oferecer alguns sinais positivos, o PSI 20 confirmou a quebra em alta dos 5200 pontos, tendo também já ultrapassado a resistência dos 5280 pontos. Está assim neutralizada a toada de curto prazo, antevendo-se agora um teste aos 5350 pontos. Dada a natureza impulsiva da subida, esta zona poderá ser aproveitada para uma consolidação/correção. Em caso de quebra em alta, será retomada a tendência ascendente de médio prazo, com resistência seguinte nos 5430 pontos. Abaixo dos 5280 pontos, ganha força a hipótese de ser fechado o "gap" aberto na última semana, abrindo espaço a uma correção em baixa até aos 5200 pontos.



Euro/Dólar permanece em torno de $1.20

O Eur/Usd negociou mais uma semana sem uma clara tendência definida. A reunião da FED provocou uma valorização do dólar, face à perspetiva de um ritmo mais acelerado de subida de taxas de juro, mas a tensão na Coreia do Norte e os dados económicos positivos na Europa anularam o movimento.

Tecnicamente, o Eur/Usd permanece num intervalo de consolidação entre $1.1830 e $1.2090. Numa perspetiva de curto prazo, sinais relevantes de formação de uma nova tendência surgem apenas com a eventual quebra de um desses níveis. Em termos de médio prazo, o Eur/Usd mantém-se acima de uma linha ascendente, que é também um canal de alta. Nesse sentido, a formação de um "topo" e uma ameaça mais relevante à tendência acontece apenas abaixo dos $1.1830, o que deixaria o par vulnerável até à zona dos $1.1680.


CRUDE renova máximos desde maio

Os preços do crude subiram pela terceira semana consecutiva, renovando máximos desde maio. Os ganhos foram desta vez suportados pela perspetiva de que os cortes de produção por parte da OPEP possam ser prolongados, com os países da organização a considerarem que estão a resultar numa redução da oferta global.

O crude confirmou a quebra em alta dos $50.40, mantendo por agora intacto o cenário construtivo em alta no curto prazo. Não há para já sinais de formação de um "topo", havendo espaço para uma subida até à resistência dos $52. Este quadro positivo ficaria comprometido abaixo da região dos $49.20/40, cuja eventual quebra deixaria o crude vulnerável até à zona dos $47.


Ouro sofre nova desvalorização

O ouro recuperou ligeiramente no final da semana, beneficiando da maior tensão na Coreia do Norte, mas não evitou a segunda semana consecutiva de perdas. A pesar na cotação estiveram sobretudo as indicações de mais uma subida de taxas de juro nos EUA, este ano.

Tecnicamente, o ouro deu alguns sinais de fragilidade com a quebra em baixa da trendline ascendente, traçada desde os mínimos de julho, assim como dos $1300. No imediato, antecipa-se um teste aos $1280, uma referência importante por se tratar de um suporte anterior e marcar 50% da subida desde $1205 a $1355. Em caso de quebra em baixa, a tendência de alta no médio prazo ficaria comprometida. Em termos de curto prazo, uma indicação mais positiva seria dada acima dos $1315.

As análises técnicas aqui publicadas não pretendem, em caso algum, constituir aconselhamento ou uma recomendação de compra e venda de instrumentos financeiros, pelo que os analistas e o Jornal de Negócios não podem ser responsáveis por eventuais perdas ou danos que possam resultar do uso dessas informações. Caso pretenda ver esclarecida alguma dúvida acerca da Análise Técnica, por favor contactar a IMF ou o Jornal de Negócios.





A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
zico 25.09.2017

a fharo está mesmo com falta de luz...a oi na úlima sexta-feira disparou mais de 12,5%, mas a fharol maior acionista/participada da OI,por cá é uma autêntica miséria..a continuar com uma valorização de 0,58%, quase de certeza fecha no vermelho...quanto ao bcp falido está tudo dito é dos shortas tá!

o BCP vai ultrapassar os 0.275 esta seman 25.09.2017

VÊM ai GRANDES NOTICIAS e GRANDES LUCROS para o MILENUM BCP acordem e ABRAM os olhos se QUEREM GANHAR MUITO $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

MOTA ENGIL A RAZAO DA SUBIDA 25.09.2017

Analise tecnica, informaçao deste jornal, e a unica em que aconselham a comprar, economia mundial recupera a nivel de construçao, por ca, contruçao do aeroporto, 2014 a açao passou dos 6.00 euros, a escolha e sua, bom dia a todos

pub