Research Impresa supera previsões dos analistas. Acções sobem mais de 4%

Impresa supera previsões dos analistas. Acções sobem mais de 4%

As acções da Impresa estão a reagir em alta aos resultados apresentados ontem, já após o fecho do mercado. Os analistas realçam o conjunto de resultados positivo.
Impresa supera previsões dos analistas. Acções sobem mais de 4%
Pedro Catarino
Sara Antunes 25 de outubro de 2017 às 11:07

A Impresa fechou os primeiros nove meses do ano com um prejuízo de 165 mil euros, o que compara com as perdas de 585 mil euros reportadas há um ano. Estes números foram bastante melhor do que o que estava a ser antecipado pelos analistas.


E as acções estão a reagir positivamente. Os títulos sobem 4,04% para 0,335 euros, elevando para mais de 76% a subida desde o início do ano. E a sessão está a ser marcada por uma liquidez elevada, tendo já trocado de mãos mais de um milhão de acções, a menos de três horas de negociação, quando a média diária dos últimos seis meses é de pouco mais de um milhão.

 

"A Impresa registou receitas 3% acima das nossas estimativas devido ao comportamento de todas as unidades. Ao nível do EBITDA a Impresa ficou 52% acima das nossas previsões especialmente devido à unidade de televisão, que foi afectada positivamente pela publicidade. Os resultados líquidos superaram em 61% os nossos números", afirma o analista Pedro Oliveira do BPI, numa nota publicada esta quarta-feira, 25 de Outubro.

 

"Esperamos uma reacção positiva" das acções a este conjunto de resultados, apesar "de a acção ter tido um desempenho bom nos últimos meses. A empresa está num processo de potencial venda de revistas e este conjunto de resultados em conjunto com o momento positivo ao nível da publicidade deve ser positivo para a Impresa", realça o analista do BPI. Esta casa de investimento tem uma avaliação da dona da SIC de 0,45 euros, o que confere às acções um potencial de subida de 34% face à cotação actual. A recomendação é de "comprar".

 

"Os resultados do terceiro trimestre de 2017 ficaram ligeiramente acima das nossas previsões tanto em termos de receitas como de corte de custos. Contudo em termos acumulados ainda se regista uma performance relativamente fraca com resultados líquidos negativos", afirma Helena Barbosa, analista do CaixaBI, numa nota publicada esta quarta-feira. Esta casa de investimento previa que a Impresa terminasse os primeiros nove meses do ano com um prejuízo de 1,3 milhões de euros, mais do que duplicando as perdas registadas no mesmo período do ano passado. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




Saber mais e Alertas
pub