Mercados Investéder reforça na SDC Investimentos e já tem mais de 5%

Investéder reforça na SDC Investimentos e já tem mais de 5%

António Castro Henriques e Pedro Gonçalo Santos continuam a ir ao mercado comprar acções da SDC Investimentos, sob a qual lançaram uma OPA em nome da Investéder. Já detêm mais de 5%.
Investéder reforça na SDC Investimentos e já tem mais de 5%
Cátia Barbosa/Negócios

No terceiro dia da OPA lançada pela Investéder à SDC Investimentos, a empresa detida pelos gestores António Castro Henriques e Pedro Gonçalo Santos já detém mais de 5% da holding de Manuel Fino. No segundo dia já detinham mais de 4%.

 

"A Investéder – Investimentos, Lda. (…) vem por este meio comunicar que passou a deter uma participação qualificada superior a 5% dos direitos de voto na sociedade aberta SDC Investimentos, SGPS", refere o comunicado divulgado junto da CMVM.

 

Após esta transacção, "passou a ser imputável à Investéder uma participação qualificada correspondente a 8.195.267 acções representativas de 5,122% do capital social da SDCI e respectivos direitos de voto, tendo assim ultrapassado o limite de 5% de participação qualificada", acrescenta o documento.

 

O comunicado sublinha ainda que "os direitos de voto acima referidos são imputáveis a António Castro Henriques e a Pedro Gonçalo Santos (…), enquanto detentores da totalidade do capital social da Investéder".

 

Na sessão desta quinta-feira, as acções da SDC Investimentos fecharam inalteradas face à véspera, nos 2,7 cêntimos – o mesmo valor que é pago na OPA em curso. Foi a esta cotação que foram transaccionadas as operações de compra e venda. 

 

Na OPA, que arrancou esta segunda-feira, 15 de Maio, a Investéder precisa de obter 50% dos direitos de voto da SDC Investimentos, o que só é possível com a compra da posição de 58,85% da Manuel Fino SGPS, a sociedade de Manuel Fino que nomeou a administração. O conselho de administração considerou a operação como "oportuna". A OPA estende-se até 2 de Junho.

 

Se comprarem a SDC Investimentos, Castro Henriques e Gonçalo Santos admitem alienar os 33% na Soares da Costa Construção a António Mosquito, como já esteve em cima da mesa. Mas é uma operação carregada de "elevada incerteza".


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub