Trading Investidores de Wall Street apostam no negócio da cloud

Investidores de Wall Street apostam no negócio da cloud

Oracle superou ontem a barreira dos 200 mil milhões de dólares. É a primeira empresa deste sector de tecnologia e informática a atingir a fasquia.
Investidores de Wall Street apostam no negócio da cloud
Reuters
Mariana Adam 22 de junho de 2017 às 12:59

A capitalização bolsista da Oracle ascendeu a 200 mil milhões de dólares pela primeira vez desde a bolha tecnológica, no final dos anos 90, avança hoje o Financial Times. A justificação para esta performance, alcançada ontem, está no facto de Wall Street estar "finalmente" a apostar no negócio em torno da computação na nuvem (cloud computing).

A Oracle Corp anunciou ontem uma subida de 14,8% no seu lucro trimestral – numa altura em que a transição da fabricante de software de negócios para serviços baseados na nuvem começam a produzir resultados nas suas contas -, e as acções da empresa dispararam quase 11% no after-market – as acções subiram de 4,87 dólares para 51,20 dólares. Uma valorização que levou a empresa a quebrar a barreira dos 200 mil milhões de dólares de capitalização bolsista.

 

Este salto no preço das acções da Oracle é o culminar de um longo caminho para conquistar a confiança dos investidores norte-americanos na capacidade da Oracle em ter sucesso na área de integração de servidores e computadores em rede na nuvem, num ano em que a empresa já valorizou mais de 20% em bolsa.

 

O Financial Times refere que a principal rival da Oracle, a IBM, viu o ser valor de mercado cair 16% nos últimos quatro meses para 145 mil milhões de dólares, com os investidores preocupados com a tentativa da empresa de reajustar o seu negócio na era da cloud computing.

 

Ontem durante a apresentação de resultados, já depois do fecho do mercado norte-americano, o co-fundador e presidente da Oracle Larry Ellison afirmou que os dados trimestrais da empresa revelam que a empresa está no "bom caminho para passar a salesforce.com" como o maior vendedor de software na nuvem. A gigante de serviços na nuvem, dirigida pelo ex-funcionário da Oracle Marc Benioff, ainda é maior que a Oracle, mas a taxa de crescimento da sua receita do negócio na nuvem (34% no último trimestre) ficou abaixo da registada pela Oracle, que foi de 58%.

 

A Salesforce, fundada em 1999, é uma das empresas pioneiras mundialmente na oferta de software na nuvem, e pretende duplicar o seu negócio nos próximos três anos. Este optimismo assenta na quarta revolução industrial, que agrega tecnologias como computação em nuvem, media, redes sociais, internet das coisas e inteligência artificial.

A Amazon, Microsoft, IBM, Google, Workday e Salesforce, são outros dos pesos pesado que crescem na oferta às empresas serviços que possibilitam alojar na "nuvem" bases de dados, libertando-as de encargos com a gestão de centros de dados. E que crescem em bolsa.

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.




pub