Trading Jefferies: Compre acções do Facebook porque o vídeo será um sucesso

Jefferies: Compre acções do Facebook porque o vídeo será um sucesso

O banco de investimento aconselha a compra de acções do Facebook porque acredita que o 'Watch' vai gerar vendas significativas e aumentar a utilização da rede social.
Jefferies: Compre acções do Facebook porque o vídeo será um sucesso
Reuters
Mariana Adam 28 de dezembro de 2017 às 11:00

Os novos serviços do Facebook que apostam no vídeo vão impulsionar o crescimento das acções da rede social mais famosa do mundo, defende o banco de investimento norte-americano Jefferies. A empresa reafirma numa nota enviada aos clientes, citada pela CNBC, a aposta nos títulos do Facebook - que pelo 10.º trimestre consecutivo apresentou um volume de negócios que supera as estimativas - e a razão para este optimismo é os vídeos. 

O streaming de vídeo é um mercado relativamente inexplorado para o Facebook, mas o analista Brent Thill diz que a enorme base de utilizadores do Facebook de mais de 2 biliões de pessoas gera uma oportunidade sem precedentes para que a empresa alcance um grande sucesso nos seus conteúdos de vídeo. O banco prevê que as acções do Facebook ascendam a 225 dólares, ou seja antevê uma subida de 25% face aos valores actuais. 

"Acreditamos que o Facebook Watch vai aumentar o alcance dos utilizadores de vídeo. Esta ferramenta vai aumentar o engagement e a segmentação dos vídeos, o que vai permitir mais partilhas e um maior alcance", escreve Brent Thill, acrescentando que o Facebook é um dos players digitais mais bem posicionados para capitalizar um modelo financiado por anúncios.

 

O Watch, uma espécie de youtube do Facebook, é um serviço de streaming que dá a possibilidade aos criadores de lançaram as suas próprias séries e e entre outras coisas permite a partilha directa de mensagens e links entre utilizadores, sem parar a reprodução ou sair da aplicação. O analista prevê que o 'Watch' do Facebook - que foi lançado em Agosto - vai gerar uma receita de 12 mil milhões até 2022.

 

As acções do Facebook aumentaram 56% este ano, as vendas da empresa de Mark Zuckerberg aumentaram 47%, para 10,33 mil milhões de dólares, os lucros também dispararam, com a empresa a ser igualmente sustentada pela publicidade nos vídeos.