Bolsa Jerónimo e Sonae dão arranque negativo à Bolsa de Lisboa

Jerónimo e Sonae dão arranque negativo à Bolsa de Lisboa

O BCP, no meio do aumento de capital, está hoje a subir mas não consegue puxar pela praça nacional. O vermelho europeu estende-se por Lisboa, com o retalho e a energia a impedir valorizações.
Diogo Cavaleiro 23 de janeiro de 2017 às 08:06
A Bolsa de Lisboa está a perder terreno no arranque da semana. O terreno negativo é também aquele onde negoceiam as restantes praças europeias naquela que é a primeira sessão desde que Donald Trump foi empossado presidente da maior economia do mundo. 

O índice PSI-20 desliza 0,29% para 4.588,22 pontos, sendo que bolsas como Frankfurt, Milão e Madrid cedem. O Stoxx Europe 600 perde 0,3%. Isto num dia em que o euro está a ficar mais caro, já que o dólar desvaloriza-se devido à aposta na política proteccionista reforçada na sexta-feira pelo novo presidente dos Estados Unidos. O euro ganha 0,4% para valer 1,0746 dólares sendo que uma moeda única mais forte penaliza as exportações europeias. 

Em Lisboa, o retalho está em destaque pela negativa. A Jerónimo Martins cai 0,72% para 15,805 euros enquanto a concorrente Sonae cede 0,93% para valer 0,848 euros por acção.

A energia é outro dos sectores em queda. A Galp Energia, num dia de tendência mista na negociação do petróleo nos mercados internacionais, resvala 0,53% e segue nos 13,95 euros. 

A EDP cai 0,22% para 2,774 euros ao passo que a EDP Renováveis segue nos 5,73 euros ao recuar 0,5%. 

Outras empresas contribuem para o arranque negativo de Lisboa. Os CTT caem 0,33% para 6,05 euros enquanto a Nos perde 0,46% para 5,19 euros. 

BCP excepção

O início de segunda-feira está a ser positivo para o BCP. As acções do banco somam 0,32% para 0,158 euros, sendo que os direitos que permitem adquirir as novas acções a serem oferecidas no aumento de capital ganham 2,2% para 0,838 euros. 

Na sexta-feira, as acções do banco liderado por Nuno Amado tinham subido depois de o regulador dos mercados, a CMVM, ter impedido a aposta na queda das acções ("short selling"). Essa proibição já não existe esta segunda-feira. 

(Notícia actualizada às 8:15 com mais informações)



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias

Pois é! Certos interessados directamente na acção SONAE vieram destacar com ênfase as "grandes subidas (5-6%) nas vendas", como se isso queira dizer alguma coisa! E as margens esmagadas como andam? não quer dizer nada? Quando eles falam assim, é de fugir!

ALTRI = BULL = BALA DE OURO Há 6 dias

ALTRI = BULL = BALA DE OURO, heheeheheh

Anónimo Há 6 dias

Balas de prata?Será que a prata está a desvalorizar nos mercados internacionais!

fernando Há 6 dias

Esta SONAE é que os analistas recomendam? Aposto que eles nem um título têm

ver mais comentários
pub