Bolsa Jerónimo Martins e Galp impulsionam bolsa com ganhos acima de 1%  

Jerónimo Martins e Galp impulsionam bolsa com ganhos acima de 1%  

A empresa de retalho atingiu a cotação mais elevada de dois meses e a petrolífera está perto de renovar máximos de 10 anos.
Jerónimo Martins e Galp impulsionam bolsa com ganhos acima de 1%   
Pedro Catarino/CM
Nuno Carregueiro 27 de agosto de 2018 às 16:49

A bolsa nacional fechou em alta pela segunda sessão, num dia positivo para os mercados accionistas globais.

 

O PSI-20 ganhou 0,44% para 5.521,20 pontos, com 11 cotadas em alta, seis em queda e uma sem variação.  

 

Wall Street volta a estar em destaque neste arranque de semana, pois o S&P500 atingiu um novo recorde devido ao acordo comercial alcançado entre os Estados Unidos e o México. Nas praças europeias são vários os índices que marcam ganhos em redor de 1%, no dia em que foi divulgado que a confiança dos empresários alemães subiu pela primeira vez em nove meses, sinalizando um nível de preocupação reduzido com a escalada da guerra comercial.

 

Em Lisboa foram sobretudo duas cotadas que puxaram pelo PSI-20, marcando ganhos acima de 1%.

 

A Jerónimo Martins avançou 1,68% para 13,625 euros, alcançando máximos de 8 de Junho. Foi já a terceira sessão consecutiva de ganhos para a retalhista, que está a passar por uma fase positiva na praça portuguesa, recuperando assim totalmente do tombo sofrido quando apresentou os resultados do primeiro semestre.    

 

A Galp Energia avançou 1,3% para 17,87 euros, uma cotação muito próxima de máximos de 10 anos (17,995 euros). A petrolífera beneficia da alta do sector, que está a acompanhar a valorização dos preços do petróleo. O Brent em Londres superou os 76 dólares devido à queda na produção dos países da OPEP e à maior descida desde 2016 no número de plataformas de petróleo e gás nos Estados Unidos.

Entre as restantes cotadas com maior peso no PSI-20 as valorizações foram pouco expressivas. O Banco Comercial Português subiu 0,16% para 25,51 cêntimos e a EDP caiu 0,09% para 3,367 euros.

 

Já a EDP Renováveis foi a cotada que mais penalizou o índice, com uma descida de 0,92% para 8,61 euros. A Pharol sofreu a queda mais intensa do índice (-2,06% para 0,214 euros), anulando parte dos ganhos conseguidos na sexta-feira.

 

Do lado dos ganhos a Semapa registou a valorização mais pronunciada (+2,23% para 18,32 euros), sendo seguida de perto pela Mota-Engil (+1,97% para 2,85 euros).