Bolsa Jerónimo Martins passa EDP e torna-se a cotada mais valiosa do PSI-20

Jerónimo Martins passa EDP e torna-se a cotada mais valiosa do PSI-20

A retalhista voltou a tornar-se a empresa com maior capitalização bolsista do PSI-20. Mas com uma vantagem pequena. Já a EDP perdeu mais de 800 milhões de euros em valor de mercado desde que António Mexia foi constituído arguido.
Jerónimo Martins passa EDP e torna-se a cotada mais valiosa do PSI-20
Bruno Simão
Rui Barroso 15 de junho de 2017 às 20:39

A Jerónimo Martins ultrapassou à justa a EDP como a cotada mais valiosa do PSI-20 na sessão desta quinta-feira, 15 de Junho. Aos valores de fecho, o mercado avalia a retalhista em 11.195 milhões de euros, mais 21 milhões de euros que a capitalização bolsista da EDP (11.174 milhões de euros). A Galp ocupa o terceiro lugar, mas a diferença entre as maiores empresas da bolsa nacional é pequena face aos dados históricos, pelo que qualquer oscilação pode levar a novas alterações no "ranking" das maiores cotadas.

Apesar de as acções da Jerónimo Martins terem descido 1,52% esta quinta-feira para 17,79 euros, a EDP cedeu 3,69% para 3,056 euros. Isto depois de o Morgan Stanley ter cortado a recomendação e o preço-alvo para a eléctrica por temer impactos negativos para a acção devido à investigação sobre os custos de manutenção de equilíbrio contratual (CEMC).


Desde que a sede da EDP foi alvo de buscas e da constituição como arguidos de António Mexia e de João Manso Neto, a 2 de Junho, a eléctrica perdeu 833 milhões de euros de valor de mercado, correspondendo a uma descida de 6,94% das acções. É o segundo pior desempenho entre as cotadas do PSI-20. Apenas as unidades de participação do Montepio fizeram pior, com uma desvalorização de 34,81%.

Nos últimos anos a luta pela liderança da lista das mais valiosas da bolsa nacional tem sido disputada entre a EDP e a Galp. No entanto, com a queda dos preços do petróleo a Galp também viu as acções a terem comportamento negativo nas últimas semanas. Perde 3,48% desde 2 de Junho. A petrolífera está avaliada pelo mercado, tendo em conta os valores de fecho desta quinta-feira, em 11.033 milhões de euros.

A Jerónimo Martins volta a ser a mais valiosa do PSI-20 quase quatro anos depois. Em Julho de 2013 chegou a valer mais 700 milhões de euros que a EDP e a ter uma capitalização bolsista que superava a da Galp em mais de 1.000 milhões de euros, segundo dados da Bloomberg.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Punitor 16.06.2017

O modelo de negócio da Jerónimo Martins é sério e sustentado. Acredito que a empresa continue o seu trabalho de valorização reconhecido. É bom ter-se uma empresa que oferece confiança pelo trabalho diário de desenvolvimento, crescimento e expansão estratégicos. O mercado reconhece sempre o valor a quem o tem :-)

Anónimo 15.06.2017

A Holanda é tão mais orientada para o mercado, tão amigável para os negócios e tem um mercado laboral tão mais flexível e um mercado de capitais tão mais forte e dinâmico, que até diversos artistas portugueses de esquerda e extrema esquerda têm, a par com várias sociedades empresariais portuguesas, relocalizado a sua residência fiscal para lá. Isto quer dizer alguma coisa certamente sobre quem são os estúpidos ou os espoliados no meio desta história toda...

pub