Mercados num minuto Juros abaixo dos 4%. Bolsas e petróleo no vermelho

Juros abaixo dos 4%. Bolsas e petróleo no vermelho

Os juros da dívida pública portuguesa a dez anos estão a negociar abaixo dos 4%, aliviando assim das subidas recentes. As bolsas europeias estão sobretudo em queda, tal como o petróleo. O euro sobe.
Juros abaixo dos 4%. Bolsas e petróleo no vermelho
Reuters
Ana Laranjeiro 09 de janeiro de 2017 às 09:44

Os mercados em números

PSI-20 desce 0,43% para 4.682,69 pontos

Stoxx 600 perde 0,47% para 363,72 pontos

Yield 10 anos de Portugal recuam 6,9 pontos base para 3,982%

Euro valoriza 0,10% para 1,0542 dólares

Petróleo em Londres desvaloriza 0,81% para 56,64 dólares por barril

Bolsas europeias no vermelho

As principais bolsas do Velho Continente estão a negociar em terreno negativo, num dia em que dois membros da Reserva Federal dos Estados Unidos discursam nos EUA. Eric Rosengren e Dennis Lockhart poderão deixar novas pistas sobre as próximas subidas de juros no país.

Os investidores deverão hoje estar ainda atentos ao primeiro discurso do ano da chanceler alemã. Angela Merkel fala sobre o futuro da Europa, num momento em que aumentam os receios em torno de maiores ondas de populismo em países-chave da região, como é o caso francês, com a maior popularidade de Marine Le Pen. As eleições na Alemanha e em França estão na lista de eventos que suscitam preocupação.


A liderar as perdas na Europa está o principal índice grego, que recua 0,99%, seguido pelo francês CAC40, que perde 0,53%. O PSI-20 desce 0,43%, penalizado nomeadamente pelas acções do BCP (desce 0,49% para 1,05 euros) e da Galp Energia (que recua 0,87% para 14,28 euros). O Stoxx 600, índice de referência, perde 0,47%.


Juros abaixo dos 4%

Os juros da dívida pública portuguesa no mercado secundário estão a cair em todos os prazos, sendo que a dez anos já baixaram da fasquia dos 4%. Neste prazo, considerada de referência, os juros perdem 6,9 pontos base para 3,982%.


O Negócios escreve na edição desta segunda-feira que o IGCP retocou a estratégia de financiamento para este ano. Numa altura em que os juros passaram os 4% no final da semana passada, a agência fechou 2016 com uma almofada financeira mais elevada e aponta para uma redução da dívida a emitir nos mercados, este ano.


Entre os restantes países do euro, os juros estão também a cair. No caso da dívida espanhola a dez anos, os juros perde 4,5 pontos base para 1,495%. E da italiana, as "yields" recuam 4,7 pontos base para 1,914%. A dívida alemã a dez anos perde 0,7 pontos base para 0,292%. O prémio de risco da dívida nacional está nos 365,0 pontos.


Euro com ganhos ligeiros

A moeda da Zona Euro está a registar uma valorização ligeira face ao dólar. Por esta altura, o euro soma 0,10% para 1,0542 dólares. Ainda assim, a divisa norte-americana está a subir face ao japonês iene pelo segundo dia, impulsionado pelos dados relativos ao emprego nos Estados Unidos. Estes números fazem crescer a expectativa que a Fed determine uma nova subida dos juros este ano.


Petróleo em queda

Os preços do ouro negro estão a cair nos mercados internacionais numa altura em que a perfuração nos Estados Unidos aumentou. Este crescimento vem contrariar os sinais dados pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo de que estão a cortar a sua produção com o objectivo de estabilizar o mercado.

O West Texas Intermediate desce 0,80% para 53,56 dólares por barril. E o Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, recua 0,81% para 56,64 dólares por barril.


Ouro em alta

O ouro está a subir numa altura em que os investidores estão a analisar os dados do emprego nos Estados Unidos conhecidos na sexta-feira. O ouro, para entrega imediata, soma 0,51% para 1.178,59 dólares por onça.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado surpreso 09.01.2017

3,957 porcento.Porreiro,já podem ir deitar foguetes com os vossos amigos "xuxas"

comentários mais recentes
Anónimo 09.01.2017

surpreso,
FAZER UMA BOA PARELHA COM O TEU AMIGO CAMILO!

Porreiro, Surpreso 09.01.2017

Surpreso, estou surpreendentemente surpreendido com a tua surpresa, é que descem para todos os países da zona euro, como subiram, na semana passada, para todos os países da mesma zona. Vá, não sejas surpreso, Surpreso: Portugal, de modo normal, limita-se a acompanhar a tendência do conjunto!

surpreso 09.01.2017

3,957 porcento.Porreiro,já podem ir deitar foguetes com os vossos amigos "xuxas"

pub
pub
pub
pub