Obrigações Juros alemães disparam após fraca procura em leilão francês

Juros alemães disparam após fraca procura em leilão francês

A "yield" das bunds a 10 anos superou os 0,5% pela primeira vez desde Janeiro de 2016. Em Portugal o juro está acima dos 3%.
Juros alemães disparam após fraca procura em leilão francês
As palavras de Draghi em Sintra deram início ao movimento de agravamento das "yields" na Europa
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 06 de julho de 2017 às 12:00

Os juros da dívida pública europeia estão em forte alta nesta sessão, depois da fraca procura dos investidores por obrigações francesas a 30 anos ter levado a "yield" das bunds alemãs a superar os 0,5%.

 

O leilão de obrigações francesas a 30 anos atraiu um procura apenas 1,53 vezes acima da oferta. Depois de conhecidos os resultados deste financiamento do estado francês, a liquidez das obrigações alemãs disparou, com a pressão vendedora nos títulos a levar a "yield" a superar os 0,5%.

 

O juro das obrigações alemãs segue a subir 7 pontos base para 0,54%, o nível mais elevado desde Janeiro de 2016. A tendência de agravamento das "yields" estende-se a toda a dívida europeia, prolongando-se assim o movimento iniciado na semana passado quando os investidores viram nas palavras de Mario Draghi o tiro de partida para a retirada dos estímulos monetários do BCE.

 

"A magnitude do ‘sell-off’ é excessivo tendo em conta o que seria de esperar de um leilão fraco em França", comentou à Bloomberg Antoine Buvet, da Mizuho International. O Citigroup acrescenta que o movimento de venda das obrigações alemãs intensificou-se assim que foi quebrada o suporte dos 0,51%.

 

Em Portugal, e "yield" dos juros das obrigações do Tesouro seguem a agravar-se 5 pontos base para 3,02%.

 

Com os juros alemães em alta mais acentuada, o spread da dívida portuguesa até está a recuar, situando-se abaixo dos 250 pontos base. O mercado aguarda agora com expectativa a divulgação dos relatos da última reunião do BCE (às 13:30), pois poderão surgir mais pistas sobre como e quando a autoridade monetária vai reduzir os estimulos. 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Atento! Há 2 semanas

Venham a banhos comigo em PALMA DE MAIORCA!
É bem melhor que os abraços e beijinhos do (baboso) Marcelo...
Chi chi chi...

genio Há 2 semanas

Oh!!!!!! vem ai as más noticias para o Sr. Monhé....

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub