Obrigações Juros de Portugal abaixo dos de Itália pela primeira vez desde 2010

Juros de Portugal abaixo dos de Itália pela primeira vez desde 2010

No dia em que a Fitch deverá voltar a avaliar a dívida portuguesa num grau de investimento, os juros de Portugal continuam a fixar novos mínimos, tendo baixado pela primeira vez, desde 2010, o nível das "yields" italianas.
Juros de Portugal abaixo dos de Itália pela primeira vez desde 2010
Patrícia Abreu 15 de dezembro de 2017 às 10:43

Os juros a dez anos de Portugal atingiram pela primeira vez em quase oito anos um nível inferior às "yields" de Itália. Esta evolução ocorre num momento em que os investidores estão à espera que a Fitch coloque esta sexta-feira a dívida de Portugal num nível de investimento, tornando-se assim a segunda grande agência de notação financeira a avaliar o país em "investment grade".

A taxa de referência a dez anos de Portugal e Itália seguem as duas a negociar no mesmo nível em 1,758%, mas o juro exigido pelos investidores para deter obrigações portuguesas já esteve a negociar abaixo da "yield" italiana. O juro de Portugal tocou, esta manhã, um novo mínimo de Abril de 2015 nos 1,753%, 0,2 pontos base acima do mínimo da sessão a que a taxa de Itália esteve a negociar (1,755%).

Vários analistas têm vindo a antecipar a convergência entre as taxas dos dois países, depois de a Standard & Poor’s ter surpreendido o mercado ao colocar Portugal fora de "lixo", uma decisão que deverá ser seguida hoje pela Fitch, permitindo à dívida portuguesa ser incluída em índices de dívida avaliados em biliões de euros.

Ainda que o potencial de novas descidas nos juros de Portugal seja agora inferior, bancos de investimento como o Société Générale consideram que qualquer correcção na dívida nacional é uma oportunidade de compra, com os analistas a anteciparem já novas melhorias de "rating" em 2018, enquanto a indefinição política em Itália poderá travar a evolução positiva dos juros do país.

"Com as eleições em Itália e a incerteza em torno do resultado eleitoral, é provável que Portugal negoceie abaixo da dívida de Itália em 2018", adiantou  Jens Peter Sørensen, analista-chefe do Danske Bank, ao Negócios esta quinta-feira. E bastou um dia para que esta previsão se confirmasse.

"Esperamos que [o ‘rating’ de] Portugal continue a ser melhorado ao longo de 2018, se a melhoria económica continuar e as finanças públicas se mantiverem saudáveis", antecipa o mesmo especialista. Assim, o analista vê "o ‘rating’ de Portugal em BBB+/A- até ao final do ano". "Recomendamos as obrigações portuguesas", conclui Jens Peter Sørensen.

Já Ciaran O’Hagan, economista do Société Générale, argumenta que "as agências de ‘rating’ foram rápidas a descer em 2010-2012, mas foram muito lentas a melhorar", isto apesar de "Portugal estar em melhor forma agora do que estava quando estava em BBB ou mesmo A em 2011. Por isso não percebemos o que está a travar a Fitch". E, para o especialista do Société Générale, depois desta agência, a Moody’s pode ser já a próxima a melhorar a avaliação de Portugal, a 12 de Janeiro.

(Correcção: Juros de Portugal estão abaixo dos de Itália pela primeira vez desde 2010 e não pela primeira vez na história)




pub