Obrigações Juros de Portugal fecham em máximos de Fevereiro

Juros de Portugal fecham em máximos de Fevereiro

As taxas de juro de Portugal registaram subidas pronunciadas, destacando-se das congéneres europeias.
Juros de Portugal fecham em máximos de Fevereiro
Sara Antunes 16 de Novembro de 2016 às 17:42

A taxa de juro implícita nas obrigações portuguesas a 10 anos subiu 18,0 pontos base para 3,673%, registando assim a maior subida desde 24 de Junho (dia pós-Brexit) e o valor intradiário mais elevado desde então.


Contudo, se analisados apenas os valores de fecho, este é o nível mais elevado da "yield" portuguesa desde 12 de Fevereiro.

 

A subida dos juros não foi exclusiva de Portugal, tendo-se verificado avanços na generalidade dos mercados, mas com subidas mais moderadas. A taxa de juro a 10 anos de Espanha avançou 8,5 pontos para 1,544%, os de Itália avançaram 7,0 pontos para 2,033% e em França a subida foi de 1,4 pontos para 0,741%.

 

Em sentido contrário estiveram as bunds, com a taxa a 10 anos a descer 1,1 pontos para 0,297%, o que aumentou o prémio de risco de Portugal para 337 pontos.

 

O dia foi parco em notícias que justificassem oscilações significativas das taxas de juro, que nos últimos dias têm sido pressionadas pela expectativa de regresso da inflação.

 

No caso de Portugal, o dia foi marcado pela aprovação do Orçamento por parte de Bruxelas e pela ida ao mercado de dívida de Portugal, com o país a conseguir emitir dívida com juros negativos na maturidade a seis meses.

Juros de Portugal em máximos desde Fevereiro:




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado surpreso Há 2 semanas

Maior subida do Pib e maior subida do juro.Os mercados são mesmo "estúpidos...

comentários mais recentes
nin Há 2 semanas

Ou seja: os mercados acreditam que daqui a seis meses Portugal ainda está em condições de pagar. Depois disso já não é certo.

Pedro Lima Há 2 semanas

Já pouco falta para os 4%, e depois como se vai pagar o silêncio da DBRS? Isto de martelar os números só engana os tugas que são um povo saloio. A bolsa tb desceu. Quem investe não acredita neste país!

Anónimo Há 2 semanas

Se a Reserva Federal Norte-Americana aumentar a taxa de juro em Dezembro vamos ouvir os geringonços comunas a dizer: "AGUENTA, AGUENTA"!

Anónimo Há 2 semanas

Daqui a nada chega uma carta da DBRS registada para que nao caia no rol do esquecimento a dizer que o DIVORCIO entre ambos esta preste a ser concretizado.Serao necessarios mais dois saltinhos de pardal ate aos malditos 4 quatro % por cem(tro).Maldito Sr. Schauble que me pos Nu.E agora?

ver mais comentários
pub