Obrigações Juros disparam na Zona Euro com sinais de crescimento dos preços

Juros disparam na Zona Euro com sinais de crescimento dos preços

Os juros da dívida pública portuguesa são dos que mais sobem esta terça-feira, devido aos sinais de que a inflação está a aumentar nas maiores economias da região da moeda única.
Juros disparam na Zona Euro com sinais de crescimento dos preços
Rita Faria 03 de janeiro de 2017 às 12:35

Os juros da dívida pública estão a subir na generalidade dos países do euro esta terça-feira, 3 de Janeiro, antes de serem divulgados os dados sobre a inflação na Alemanha, em Dezembro, que, segundo os economistas consultados pela Reuters, deverão mostrar uma aceleração no crescimento dos preços. Os números relativos às regiões do país, conhecidos hoje, apontam nesse sentido.

"Até há umas semanas, a opinião geral era de que os riscos de uma subida da inflação eram muito limitados, contudo… a taxa de inflação que será divulgada hoje deverá revelar um avanço significativo", afirma Birgit Figge, estratega do DZ Bank, citada pela Reuters.

De acordo com as estimativas recolhidas pela agência noticiosa, os preços no consumidor deverão ter subido 1,3%, em Dezembro, em termos homólogos, depois do avanço de 0,7% no mês anterior.

Os dados relativos à segunda maior economia da região, a França, sugerem que a inflação atingiu, no último mês do ano, o nível mais alto desde Maio de 2014.

Estes números estão a ter reflexos no mercado de dívida, já que a subida da inflação poderá levar o BCE a alterar o rumo da sua política monetária expansionista antes do previsto.

"Os números da inflação na Alemanha foram muito altos, e isso poderá estar a assustar os mercados", refere Allan von Mehren, analista chefe do Danske Bank, em Copenhaga. "Uma coisa que o mercado de obrigações pode começar a temer este ano é a retirada dos estímulos do BCE, ou a discussão sobre isso. Se a inflação começar a subir, essa discussão poderá intensificar-se ao longo do ano".   

Em Portugal, a ‘yield’ associada às obrigações a dez anos avança 8,8 pontos base para 3,793%, depois de já ter tocado em 3,807%. Em Espanha, os juros, no mesmo prazo, agravam-se em 5,9 pontos para 1,391%. Na Alemanha, a subida é de 5,5 pontos para 0,244% e em Itália de 7,4 pontos base para 1,817%.

Como a subida dos juros em Portugal é mais acentuada do que na Alemanha, também o risco da dívida portuguesa – medido pelo spread face à dívida germânica – está mais alto. Sobe nesta altura 4,5 pontos para 352 pontos.


A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 03.01.2017


Os FP/CGA devem mais de 30 mil milhões de € ao estado (aos restantes contribuintes).


Ladrões PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


400 milhões de Euros para aumentar as pensões baixas, são migalhas em comparação com...


os mais de 4600 milhões de euros que o Estado vai injetar, em 2017 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o pagamento do buraco anual das pensões dos FP-CGA.


comentários mais recentes
Anónimo 03.01.2017


Os FP/CGA devem mais de 30 mil milhões de € ao estado (aos restantes contribuintes).


Ladrões PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


400 milhões de Euros para aumentar as pensões baixas, são migalhas em comparação com...


os mais de 4600 milhões de euros que o Estado vai injetar, em 2017 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o pagamento do buraco anual das pensões dos FP-CGA.


Anónimo 03.01.2017


Os FP/CGA devem mais de 30 mil milhões de € ao estado (aos restantes contribuintes).


Ladrões PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


400 milhões de Euros para aumentar as pensões baixas, são migalhas em comparação com...


os mais de 4600 milhões de euros que o Estado vai injetar, em 2017 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o pagamento do buraco anual das pensões dos FP-CGA.


Anónimo 03.01.2017


Os FP/CGA devem mais de 30 mil milhões de € ao estado (aos restantes contribuintes).


Ladrões PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO


400 milhões de Euros para aumentar as pensões baixas, são migalhas em comparação com...


os mais de 4600 milhões de euros que o Estado vai injetar, em 2017 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o pagamento do buraco anual das pensões dos FP-CGA.


Anónimo 03.01.2017

aos 4,5% 'arrebenta' a bolha! Ou seja, rebenta a gorda que faz de primeiro ministro

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub