Obrigações Juros na Europa aliviam subidas após inflação na Alemanha

Juros na Europa aliviam subidas após inflação na Alemanha

Os dados relativos à inflação na Alemanha em Janeiro- abaixo do previsto - ajudaram a aliviar as subidas dos juros na Europa. Ainda assim, as 'yields' seguem em alta.
Juros na Europa aliviam subidas após inflação na Alemanha
Rita Faria 30 de janeiro de 2017 às 14:17

Os juros da dívida da generalidade dos países do euro aliviaram as subidas ao início desta tarde, depois de ter sido revelado que a inflação na Alemanha subiu ligeiramente menos do que o esperado no arranque do ano.

Segundo os dados revelados esta segunda-feira, 30 de Janeiro, pelo gabinete estatístico de Berlim, a inflação na Alemanha acelerou para o nível mais elevado dos últimos três anos e meio, em Janeiro. Os preços no consumidor cresceram 1,9%, depois da subida de 1,7% em Dezembro. Ainda assim, a inflação ficou ligeiramente abaixo do esperado, já que as estimativas apontavam para um crescimento dos preços de 2%.

Após a divulgação destes números, a subida dos juros aliviou, ainda que as ‘yields’ permaneçam em alta na maioria dos países da moeda única, com destaque para Portugal e Itália.

Nesta altura, a ‘yield’ associada às obrigações portuguesas a dez anos sobe 5,1 pontos base para 4,193%, depois de ter chegado a tocar nos 4,259%, o valor mais elevado desde 12 de Fevereiro de 2016.

Em Espanha, os juros da dívida a dez anos escalam 3,3 pontos para 1,620%, enquanto em Itália o agravamento é de 8,5 pontos para 2,311%.

Já na Alemanha, a ‘yield’ desce 0,9 pontos para 0,453%. Com os juros alemães a descer e os portugueses a subir, também o risco da dívida nacional – medida pelo spread face à dívida germânica – está mais alto. Sobe 6,9 pontos para 368 pontos.

Apesar de a inflação na Alemanha ter ficado abaixo do esperado, já está muito próxima da meta de 2% do Banco Central Europeu (BCE), o que coloca uma pressão adicional sobre a autoridade monetária, que continua a proporcionar estímulos sem precedentes à economia da Zona Euro.  




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ventura Santos 30.01.2017

Não, não é o muro do Trump. Acho que é o buraco do Passos Coelho que se borrou todo.

pub