Câmbios Libra dispara quase 2,5% após May garantir que Brexit vai ao Parlamento

Libra dispara quase 2,5% após May garantir que Brexit vai ao Parlamento

Terminado o discurso da primeira-ministra britânica, a libra valorizou 2,49% face ao dólar, a maior subida intradiária contra a divisa americana desde Julho passado, depois de May garantir que a saída da UE será validada pelos deputados.
Libra dispara quase 2,5% após May garantir que Brexit vai ao Parlamento
Bloomberg
David Santiago 17 de janeiro de 2017 às 13:36

A libra segue nesta altura a valorizar 2,33% para 1,2328 dólares, uma tendência de valorização que se seguiu ao final do discurso feito esta terça-feira, 17 de Janeiro, pela primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May.

 

Assim que terminou a intervenção em que May anunciou que Londres vai optar por um "hard Brexit" - mas levando o acordo final à votação do parlamento - , a libra registou de imediato uma valorização de 2,49% para os 1,2347 dólares, o valor mais elevado da divisa britânica desde 6 de Janeiro. Trata-se também da maior subida intra-diária da libra desde que também no dia 14 de Julho do ano passado subiu 2,49% contra a moeda norte-americana.

"O facto de levar um acordo final do Brexit a ambas as câmaras do Parlamento é positivo para a libra esterlina. (...) O acordo terá de ser bom para que o Parlamento o aprove", disse à Bloomberg o analista Athanasios Vamvakidis, do Bank of America.

Se a moeda fechar com o ganho actual, será a maior valorização desde Outubro de 2008. Note-se que esta segunda-feira a libra negociou nos mercados cambiais em mínimos de 7 de Outubro face à moeda norte-americana, penalizada pelo receio relativamente ao impacto do Brexit.

 

Esta evolução da libra compara com a subida de 1,1% que se verificava no momento em que a primeira-ministra britânica iniciou o seu discurso. May, que antes tinha já dito que preferia não chegar a nenhum acordo com Bruxelas em lugar de um mau acordo, anunciou hoje que Londres optará por abandonar todas as instituições europeias e respectivas políticas, inclusivamente o mercado único e a união aduaneira.

Mas garantiu que os deputados terão a palavra final sobre o acordo. 
O Reino Unido explicou que tentará negociar uma "parceria estratégica" com a União Europeia (UE) que permita constituir um acordo de livre comércio com o bloco europeu.

 

Ao contrário da libra, a bolsa do Reino Unido aprofundou a tendência de queda que se verificava desde o início da sessão desta terça-feira. O índice que agrega as 100 maiores cotadas britânicas, o FTSE 100, que perdia 0,4% acentuou as perdas para 0,58%, reagindo também à valorização da libra, o que é penalizador para as empresas exportadoras.






A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana


Comemorações Oficiais

Ladrões FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Porque é que 4 500 000 de trabalhadores privados têm de continuar a pagar a reposição dos salários e das mordomias dos 500 000 funcionários públicos?

É uma medida populista que vai enterrar o país em mais 10 000 milhões € nos próximos anos!

Chega de mordomias para os funcionários públicos, são as 35 horas de trabalho, os dias de férias que começam nos 25 dias, as reformas muito acima dos restantes mortais e com muito menos anos de descontos, o bloco de "desculpas" para faltar ao trabalho, as inúmeras greves dos inúteis sindicatos, da impossibilidade de serem despedidos.

Este é um governo populista, que não sabe o que é governar, não sabe fazer contas, nem orçamentos e que a curto prazo pode levar este país a nova banca rota!

comentários mais recentes
AMLG Há 1 semana

Alguem me explica como é que vão ficar com acesso ao mercado da UE e sem cisculação de pessoas?

Anónimo Há 1 semana


Comemorações Oficiais

Ladrões FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

Porque é que 4 500 000 de trabalhadores privados têm de continuar a pagar a reposição dos salários e das mordomias dos 500 000 funcionários públicos?

É uma medida populista que vai enterrar o país em mais 10 000 milhões € nos próximos anos!

Chega de mordomias para os funcionários públicos, são as 35 horas de trabalho, os dias de férias que começam nos 25 dias, as reformas muito acima dos restantes mortais e com muito menos anos de descontos, o bloco de "desculpas" para faltar ao trabalho, as inúmeras greves dos inúteis sindicatos, da impossibilidade de serem despedidos.

Este é um governo populista, que não sabe o que é governar, não sabe fazer contas, nem orçamentos e que a curto prazo pode levar este país a nova banca rota!

Anónimo Há 1 semana

Espero que a EU se reencontre e perceba que a união faz a força.
Era visível à muitos anos que o RU fazia boicote e o jogo dos EUA. Este possível acordo com a URSS após sanções, deixa a Europa no mato sem cachorro ! Veremos como vamos sair disto ? Uma coisa é certa, temos traidores na UE.

Anónimo Há 1 semana


OS BURROS.

Curiosamente (ou não) a maioria dos que chamam burros aos eleitores Americanos, por elegerem Trump...

São os burros que elegeram o Socrates Gatuno e o Costa Ladrão, que levaram Portugal à bancarrota!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub