Câmbios Libra regista maior subida desde Agosto após decisão do Tribunal sobre o Brexit

Libra regista maior subida desde Agosto após decisão do Tribunal sobre o Brexit

A moeda britânica negoceia em máximos de quase um mês face ao dólar, animada pela possibilidade de a votação no Parlamento poder atrasar ou "suavizar" o Brexit.
Libra regista maior subida desde Agosto após decisão do Tribunal sobre o Brexit
Chris Ratcliffe/Bloomberg
Rita Faria 03 de Novembro de 2016 às 11:35

A libra está a reagir em alta à decisão do Supremo Tribunal britânico de condicionar a formalização do Brexit ao "sim" do Parlamento de Londres.

A moeda britânica ganha 1,19% para 1,2451 dólares, a maior subida desde 16 de Agosto. Face à moeda única europeia, a libra sobe 1,34% para 1,1234 euros.

A divisa do Reino Unido está, assim, em máximos de quase um mês face ao dólar, animada pela possibilidade de um voto no parlamento poder atrasar ou mesmo "suavizar" a saída do país da União Europeia.

"A regra mais fundamental da Constituição do Reino Unido é a de que o Parlamento é soberano. (...) O tribunal não aceita o argumento apresentado pelo governo. (...) O governo não tem poder para (...) notificar a activação do artigo 50 para que o Reino Unido saia da União Europeia," justificou o presidente do tribunal, Lord Thomas of Cwmgiedd, na sua decisão, de acordo com o jornal The Guardian.

 

O veredicto da justiça, que ameaça atrasar todo o processo do Brexit, vai de encontro às pretensões do Governo conservador que vem defendendo a necessidade de respeitar a decisão do povo britânico, expressa no referendo de 23 de Junho.

A decisão do Tribunal foi conhecida duas horas antes de o banco de Inglaterra anunciar as suas decisões no que respeita à política monetária. A expectativa é que Mark Carney deixe os juros inalterados no mínimo histórico de 0,25%.






A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub