Câmbios Libra sobe para máximos de cinco semanas antes da decisão do Supremo sobre o Brexit

Libra sobe para máximos de cinco semanas antes da decisão do Supremo sobre o Brexit

A moeda britânica atingiu o nível mais alto desde meados de Dezembro, na véspera de ser conhecida a decisão do Supremo Tribunal sobre o Brexit. O veredicto será revelado esta terça-feira, às 9:30.
Libra sobe para máximos de cinco semanas antes da decisão do Supremo sobre o Brexit
Reuters
Rita Faria 23 de janeiro de 2017 às 13:27

A libra britânica está a valorizar pela terceira sessão consecutiva esta segunda-feira, 23 de Janeiro, tendo já tocado no valor mais alto das últimas cinco semanas.

 

A moeda do Reino Unido sobe 0,58% para 1,2447 dólares, depois de ter escalado um máximo de 0,78%, durante a manhã, para 1,2472 dólares, o valor mais elevado desde o dia 19 de Dezembro de 2016.

 

Esta evolução – em parte devido à fraqueza do dólar – acontece na véspera de ser conhecido o veredicto do Supremo Tribunal do Reino Unido sobre o recurso interposto pelo Executivo de Theresa May à decisão do Tribunal Superior de obrigar o parlamento britânico a votar a activação do artigo 50 do Tratado de Lisboa, que desencadeará a saído do país do bloco regional.

 

A decisão do Supremo Tribunal do Reino Unido será conhecida esta terça-feira, às 9:30, podendo representar um revés para o Governo de Theresa May, que pretendia accionar o artigo 50 até ao final de Março.

 

Em Dezembro, o Tribunal Superior decidiu que a saída do Reino Unido da União Europeia só pode ser formalizada junto das instâncias europeias depois da sua aprovação pelo parlamento de Londres.

"A regra mais fundamental da Constituição do Reino Unido é a de que o Parlamento é soberano. (...) O tribunal não aceita o argumento apresentado pelo Governo. (...) O Governo não tem poder para (...) notificar a activação do artigo 50 para que o Reino Unido saia da União Europeia," justificou o presidente do tribunal, Lord Thomas of Cwmgiedd.

 

Conhecida a decisão, o Governo decidiu interpor um recurso ao Supremo Tribunal, o mais alto órgão judicial do país.

 

Se May vencer o caso, deverá ser capaz de cumprir o calendário que apresentou, e accionar o Artigo 50 até ao final do primeiro trimestre deste ano. Caso contrário, terá de sujeitar à aprovação do parlamento de Londres o procedimento que desencadeará o período de negociações de dois anos, com vista à saída do país da UE.

Segundo a Reuters, alguns investidores e apoiantes do "Bremain" esperam que os deputados forcem May a estabelecer um acordo que priorize o acesso ao mercado único europeu de 500 milhões de pessoas, ou até mesmo que bloqueiem o Brexit.

Ainda de acordo com a agência noticiosa, uma decisão contra o Governo deverá favorecer a libra, ainda que os ganhos devam ser limitados, já que esse resultado já está a ser descontado pelo mercado. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub