Bolsa Lucros da Blackrock sobem 8% e superam expectativas do mercado

Lucros da Blackrock sobem 8% e superam expectativas do mercado

O terceiro trimestre foi de crescimento para os principais indicadores da gestora de activos, tendo os lucros sido impulsionados pelo aumento das comissões cobradas no negócio de fundos de índice.
Lucros da Blackrock sobem 8% e superam expectativas do mercado
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 11 de outubro de 2017 às 12:59
A Blackrock, maior gestora de activos do mundo, encerrou o terceiro trimestre do ano com uma subida de 8,2% nos lucros registados, um resultado beneficiado pelo aumento do valor arrecadado com comissões, sobretudo nos fundos de índice (ETF).

O resultado líquido situou-se nos 947 milhões de dólares (800 milhões de euros à cotação actual), acima dos 875 milhões verificados um ano antes. O lucro por acção (sobre o resultado ajustado) cresceu 15% para 5,92 dólares (excluindo não-recorrentes), valor que ficou acima dos 5,56 esperados pelo mercado, de acordo com a Reuters.

O negócio de ETF do grupo, iShares, – considerado "low-cost" em relação à concorrência - valeu à empresa 1,7 mil milhões de dólares em comissões, tendo conseguido angariar investimentos de 52,3 mil milhões de dólares contra 51,26 mil milhões um ano antes, de acordo com a Reuters.

Os activos sob gestão da Blackrock dispararam quase 17% em termos anuais para 5,98 biliões de dólares, registando entradas líquidas de 96,1 mil milhões de dólares – acima dos 71,62 mil milhões aguardados pelo mercado.

"Vemos os clientes à procura de colocarem mais dinheiro a render. (…) O que está a acontecer é que vemos uma mudança no sentimento de mercado. Continuamos a ver crescimento continuado na China e um crescimento acima da média no Japão," afirmou o CEO da BlackRock, Larry Fink, à CNBC pouco depois de conhecidos os resultados.

As acções da BlackRock sobem 0,32% para 467 dólares no período de pre-market.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub