Research Lucros da Sonae terão recuado 20% até Setembro

Lucros da Sonae terão recuado 20% até Setembro

A empresa liderada por Paulo Azevedo terá sido penalizada pela avaliação das propriedades da Sonae Sierra.  
Lucros da Sonae terão recuado 20% até Setembro
Nuno Carregueiro 04 de Novembro de 2016 às 10:36

A Sonae SGPS terá fechado os primeiros nove meses do ano com um resultado líquido de 114 milhões de euros, o que traduz uma queda de 20% face ao período homólogo.

 

A estimativa é do CaixaBI, que justifica esta queda com o "reconhecimento de resultados indirectos mais baixos", em "resultado de um menor ritmo de apreciação da avaliação das propriedades da Sonae Sierra".

 

A Sonae Sierra anunciou na quinta-feira uma descida nos resultados líquidos para 92,6 milhões de euros. O CaixaBI diz que os números mostram "estabilidade dos resultados operacionais a par de geração de ganhos resultantes da gestão do portefólio de propriedades", embora não espere "qualquer impacto destes resultados na cotação da Sonae".

  

As previsões do banco de investimento apontam para que a Sonae registe receitas de 3,82 mil milhões de euros, mais 5,1% do que no período homólogo, enquanto o EBITDA terá descido 10% para 203 milhões de euros.

 

A subida das receitas está relacionada com a "expansão da área de vendas da Sonae MC nos últimos 12 meses", bem como ao "crescimento de vendas na Sonae SR". Já a queda do EBITDA "pode ser atribuída na maior parte à evolução da actividade da Sonae RP". Na Sonae MC o CaixaBI antecipa uma descida de 50 pontos base na margem EBITDA, "devido à continuação da política promocional agressiva implementada desde o início de 2015".

 

"Os resultados trimestrais deverão revelar crescimento orgânico de vendas, em linha com a melhoria que temos observado no Índice de vendas de Alimentação, Bebidas e Tabaco Português. Não obstante, as margens EBITDA deverão permanecer pressionadas tanto no retalho alimentar como no especializado (onde a comparabilidade histórica se perdeu devido à aquisição da Losan e da Salsa – para as quais não foram fornecidos dados históricos)", refere a nota de "research" a que o Negócios teve acesso.

 

A Sonae SGPS vai apresentar os resultados dos primeiros nove meses no dia 9 de Novembro, após o fecho da sessão.

 

As acções da Sonae SGPS descem 1,42% para 69,6 cêntimos. No ano desvaloriza 33,4%.

 

"As margens EBITDA deverão permanecer pressionadas tanto no retalho alimentar como no especializado" José Mota Freitas, analista do CaixaBI

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.



A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

COFINA: INVERSÃO DA QUEDA: Receitas de jornais e TV no 1ºSem./16 caíam -1% (para 39,9 M€), 3 meses após no conjunto de 9 meses/2016 já sobem 0,9% (para 61,1 M€). Dívida liquida continua a baixar,para 56,5 M€,menos 2,1 M€ que final de Junho/16. E, tem lucros de 3,6 M€ nos 9 meses. COMPRAR FORTEMENTE.

Anónimo Há 4 semanas


SALÁRIO MÉDIO DOS PROFESSORES PORTUGUESES É O 3.º MAIS ALTO DA EUROPA, EM 2015 (antes da reposição).

"No caso dos docentes com salários mais altos, em que o rendimento dos docentes é superior ao PIB per capita, Portugal aparece em destaque como o terceiro com salários mais elevados da Europa.

Relatório Eurydice.

pub
pub
pub
pub