Crédito Malparado atinge mínimo de Dezembro de 2012

Malparado atinge mínimo de Dezembro de 2012

O montante de crédito vencido nas carteiras dos bancos nacionais diminuiu, em Julho, de acordo com os dados do Banco de Portugal.
Malparado atinge mínimo de Dezembro de 2012
Miguel Baltazar
Raquel Godinho 12 de setembro de 2017 às 13:10

As instituições financeiras tinham, no final de Julho, 15.392 milhões de euros em crédito de cobrança duvidosa, segundo os dados do Banco de Portugal, publicados esta terça-feira, 12 de Setembro. Este valor representa uma quebra face aos 15.449 milhões de euros atingidos um mês antes e é mesmo o montante mais baixo desde Dezembro de 2012.


A queda registada deveu-se essencialmente ao segmento das empresas. Neste caso, o malparado ascende a 10.533 milhões de euros, ficando abaixo dos 10.618 milhões de euros verificados em Junho. Este montante significa 14,04% de todo o dinheiro emprestado às empresas. Trata-se da percentagem mais baixa desde Setembro de 2014.


No que diz respeito às famílias, o montante de crédito vencido ascendia a 4.859 milhões de euros, em Julho, ligeiramente mais do que os 4.831 milhões de euros registados no mês anterior. Este valor significa 4,22% de todo o dinheiro emprestado a particulares.


Por segmento, é na habitação que o malparado é mais elevado. Atingiu os 2.100 milhões de euros, em Julho, praticamente em linha com os 2.101 milhões de euros de Junho. De todo o dinheiro emprestado para a compra de casa, 2,24% está dado como malparado, a percentagem mais baixa desde Setembro de 2013.


No crédito ao consumo, o malparado totalizava 708 milhões de euros, mais do que os 702 milhões de euros verificados em Junho. Representa 5,53% de todo o financiamento concedido. Já no segmento de outros fins, o crédito de cobrança duvidosa ascende a 2.051 milhões de euros, superando os 2.028 milhões de euros do mês anterior. Trata-se de 23,98%, a percentagem mais elevada desde que há registo.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Para bom entendedor Há 1 semana

Os bancos estao a voltar à rentabilidade. As cotações vão subir. O BCP vai valer mais de 0,30€. Diamante em bruto.

pub
pub
pub
pub