Bolsa Matérias-primas e tecnologias travam Wall Street

Matérias-primas e tecnologias travam Wall Street

As bolsas norte-americanas abriram em ligeira baixa, continuando a ser penalizadas sobretudo pelas tecnologias e pelas matérias-primas.
Matérias-primas e tecnologias travam Wall Street
Reuters
Carla Pedro 16 de junho de 2017 às 14:50

O Dow Jones abriu a ceder muito marginalmente, com um recuo de 0,03% para 21.353,44 pontos, e o Standard & Poor’s 500 segue a perder 0,09% para 2.430,15 pontos.

 

Também o tecnológico Nasdaq Composite segue a resvalar, ao ceder 0,23% para 6.151,32 pontos.

 

Trata-se da terceira sessão consecutiva no vermelho, e a quinta em cinco jornadas, com as tecnologias e as "commodities" a liderarem as perdas.

 

Esta semana os investidores retomaram o movimento de vendas de títulos tecnológicos, dado que a perspectiva de taxas de juro mais altas - aventada pela presidente da Reserva Federal norte-americana, Janet Yellen - fez com que as atenções se virassem para acções de sectores mais beneficiados com essa evolução.

 

No entanto, nem todas as tecnológicas estão em baixa e a tendência do índice ainda pode inverter, já que a Amazon segue a ganhar terreno depois do anúncio de que pretende comprar a Whole Foods Market por 13,7 mil milhões de dólares (12,2 mil milhões de euros).

 

A gigante do comércio electrónico segue a somar 2,18% para 985,20 dólares por acção, ao passo que a retalhista da área alimentar está suspensa em bolsa.

 

Entretanto, os títulos ligados à energia continuam a negociar generalizadamente no vermelho, numa altura em que os preços do petróleo se têm mantido em terreno negativo.

 

Sob pressão estão igualmente as acções ligadas aos metais preciosos e ao sector mineiro - pressionados pela queda do ouro e de vários metais de base (estes últimos castigados pelos receios dos investidores em relação ao ritmo do crescimento económico mundial).




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
MAS SERÁ QUE NEM HOJE DEIXAM O BCP SUBIR Há 1 semana


HARRE QUE É DEMAIS NEM HOJE QUE A FINTCH VAI SUBIR OS RATINGS DO BCP E DE PORTUGAL NEM HOJE DEIXAM O BCP SUBIR LIVRA QUE FOI TODA A SEMANA A DESCER TODA A TRAMPA A SUBIR e o MILENIUM BCP É SEMPRE MARRADO PARA BAIXO HARRE que já é DEMAIS

GLINTT Há 1 semana

A nossa tecnológica GLINTT vai ser a próxima a duplicar, as campeãs de prejuízos já subiram 100% e a GLINTT que dá lucro e já foi alvo de OPA subiu 26%. Pode ser alvo de outra OPA da Farminveste para a tirar da Bolsa. Mas deviam agora pagar 1€ cada acção. Já valeu 5€ em 2004.

pub