Obrigações Mello Saúde emite 50 milhões de euros em dívida com juro de 4%

Mello Saúde emite 50 milhões de euros em dívida com juro de 4%

A José de Mello Saúde procedeu à emissão de um empréstimo obrigacionista com maturidade a seis anos, no valor de 50 milhões de euros. O objectivo é refinanciar a actividade corrente e fazer face a novas oportunidades de investimento, bem como alargar a maturidade média da sua dívida.
Mello Saúde emite 50 milhões de euros em dívida com juro de 4%
Miguel Baltazar/Negócios
Negócios 22 de setembro de 2017 às 19:58

A Mello Saúde, plataforma do grupo José de Mello para a área da saúde, fechou esta sexta-feira, 22 de Setembro, os termos de um empréstimo obrigacionista no montante de 50 milhões de euros, pelo prazo de seis anos, a uma taxa de juro fixa de 4%, informou a empresa em comunicado à CMVM.

 

A emissão foi colocada junto de investidores institucionais, com 20% colocados entre investidores internacionais, e será solicitada a admissão à negociação das obrigações nos mercados regulamentados Euronext Lisbon e Luxembourg Stock Exchange, acrescentou a empresa presidida por Salvador José de Mello (na foto).

Nesta emissão o Banco Finantia, S.A. e o Banco Santander Totta, S.A. actuaram como "joint lead managers", segundo o documento da empresa que em 2014 falhou a aquisição da Espírito Santo Saúde (hoje Luz Saúde).

"Com este empréstimo obrigacionista, a José de Mello Saúde, S.A. pretende refinanciar a actividade corrente e fazer face a novas oportunidades de investimento, bem como alargar a maturidade média da sua dívida", conclui a empresa no seu comunicado.

A José de Mello Saúde desenvolve a sua actividade no sector da prestação de serviços de saúde em Portugal, actuando nas seguintes áreas de negócio: rede de unidades de prestação privada de cuidados de saúde CUF; e parcerias público-privadas (Hospital de Braga e Hospital de Vila Franca de Xira).




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Antunes 23.09.2017

Absolutos ladrões de galinhas.

General Ciresp 22.09.2017

Daqui por 6 anos estao a regatiar nova taxa de juro sobre estes valor mais os juros que nao poderam ser pagos por erro informatico,dizem(desculpam-se).A fome do investidor FANA a presa.

pub