Obrigações Ministério das Finanças satisfeito com manutenção de 'rating' pela Fitch

Ministério das Finanças satisfeito com manutenção de 'rating' pela Fitch

"Apraz-nos registar o aumento de confiança da agência na diminuição dos riscos macroeconómicos", reagiu o Ministério de Mário Centeno, em nota enviada à agência Lusa.
Ministério das Finanças satisfeito com manutenção de 'rating' pela Fitch
Bruno Simão/Negócios
Lusa 04 de fevereiro de 2017 às 10:06

O Ministério das Finanças reagiu hoje com satisfação à decisão da agência de notação financeira Fitch de manter o 'rating' e a perspectiva da República Portuguesa estável.

"Apraz-nos registar o aumento de confiança da agência na diminuição dos riscos macroeconómicos", reagiu o Ministério de Mário Centeno, em nota enviada à agência Lusa.

Àquele aumento, salientou o Ministério, "não é estranha a consolidação orçamental – com um défice global seguramente inferior 2,3% do PIB – e a preocupação em criar as condições de sustentabilidade da dívida pública – com um excedente primário superior a 2% do PIB".

Por outro lado, destaca ainda o texto, "os riscos para os quais alerta a Fitch advêm principalmente da componente externa", o que levou o Governo a acrescentar que "a estabilidade política (…) em Portugal e a capacidade das empresas portuguesas diversificarem os seus mercados mitigam riscos exógenos à economia portuguesa".

O comunicado termina com a garantia de que "o Governo está determinado na estabilização do sector financeiro" e com a consideração de que "o Orçamento do Estado para 2017 respeita os compromissos do Estado com credores e instituições internacionais e favorece o crescimento económico e a criação de emprego, contribuindo para um aumento da confiança na economia portuguesa".

A Fitch manteve hoje a nota atribuída a Portugal em BB+, acrescentando a consideração de estável para a perspectiva, conforme comunicado emitido em Londres.

"O rating da dívida pública de Portugal é suportado por instituições robustas, um forte ambiente empresarial e um dos maiores rendimentos per capita na categoria BB", justificou a agência de notação financeira.

Porém, acrescentou que estes factores eram contrabalançados por "elevados níveis de endividamento público e privado, um fraco desempenho no crescimento e problemas herdados no sistema financeiro".

A Fitch salientou também que a economia recuperou no segundo semestre de 2016, graças "ao aumento das exportações e à renovação da confiança dos consumidores associada a uma subida do emprego".

A agência salientou ainda que os riscos macroeconómicos internos diminuíram, mas que Portugal permanece vulnerável aos desenvolvimentos externos.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Joao22 Há 3 semanas

Preocupante esta satisfação de nivelamento por baixo. estamos satisfeitos com o grau de lixo, com o ultimo lugar. Não consigo compreender tanta falta de ambição.

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Por que será que o Centeno está com cara de parvo ? Será cagaço do que aí vem ?

Nitrato de escarreta Há 3 semanas

Este lamrona satisfaz-se com pouco.
A sua mulher deve necessitar de ajuda externa, não ?

Joao22 Há 3 semanas

Preocupante esta satisfação de nivelamento por baixo. estamos satisfeitos com o grau de lixo, com o ultimo lugar. Não consigo compreender tanta falta de ambição.

Anónimo Há 3 semanas

Então é isso! Pensei que ele se risse porque alguém lhe estava a fazer cócegas, mas afina não é. É mesmo satisfação pela manutenção do tal rating! Oh sr ministro! Você ri-se hoje, mas por favor evite que Portugal chore amanhã. Mas só se o deixarem e se for capaz.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub