Bolsa Minutas da Fed impulsionam Wall Street

Minutas da Fed impulsionam Wall Street

Os investidores concluíram que o discurso adoptado pela Fed nas minutas foi mais brando do que quando o banco subiu os juros em Dezembro.  
Minutas da Fed impulsionam Wall Street
Reuters
Nuno Carregueiro 04 de Janeiro de 2017 às 21:44

As bolsas norte-americanas fecharam em alta pela segunda sessão, com os investidores agradados com o discurso da Reserva Federal, que reiterou a promessa de subir os juros de forma gradual.

 

O Dow Jones valorizou 0,3% para 19.942,16 pontos, voltando a aproximar-se da fasquia dos 20 mil pontos. O Nasdaq ganhou 0,88% para 5.477 pontos e o S&P500 avançou 0,56% para 2.270,5 pontos.

 

Nas minutas da reunião realizada a 13 e 14 de Dezembro, os responsáveis da Fed vários dos responsáveis da Fed mostram preocupações com a possibilidade de o banco central ser forçado a acelerar a subida de juros, devido às perspectivas de crescimento da inflação.

 

Contudo, também destacam a "considerável incerteza sobre o timing, dimensão e composição de um futuro plano orçamental e outras iniciativas económicas, bem como se essas medidas podem afectar a procura e a oferta". E mantiveram a promessa de que será mais apropriado subir os juros de "forma gradual" nos próximos anos.

 

Os investidores interpretaram este discurso como mais brando em relação à subida de juros, face ao que fora adoptado logo após a reunião de 13 e 14 de Dezembro.

 

Também a impulsionar Wall Street esteve a queda do dólar e a alta do petróleo, invertendo os movimentos registados na véspera.

 

As fabricantes de automóveis destacaram-se nos ganhos depois das seis marcas mais vendidas nos Estados Unidos terem anunciado vendas que superaram as projecções dos analistas. A General Motors e a Ford valorizaram 5%.

   




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub