Bolsa Montepio corrige com forte volatilidade após valorização histórica  

Montepio corrige com forte volatilidade após valorização histórica  

Depois da forte subida registada na terça-feira, as unidades de participação do Montepio corrigem na sessão de hoje.
Montepio corrige com forte volatilidade após valorização histórica  
Bruno Simão/Negócios

As unidades de participação do Montepio estão a registar um início de sessão fortemente volátil, corrigindo da forte valorização da véspera.

 

Os títulos já estiveram a cair 14,19% para 53,2 cêntimos, sendo que meia-hora depois da abertura já só desciam 3,71% para 59,7 cêntimos.

 

Ontem os títulos tinham subido 46,23% para 62 cêntimos, na valorização diária mais forte de sempre que levaram a cotação para o valor mais elevado desde Março de 2016.

 

A subida expressiva aconteceu num dia em que não foi divulgada qualquer informação relevante sobre o Montepio. A CMVM, que tem como função acompanhar a evolução do mercado, "pediu esclarecimentos" à instituição, segundo confirmou o regulador, que adianta ainda que a "caixa económica diz não ter informação que possa justificar a subida". 

 

A valorização de ontem não foi acompanhada por um volume anormal de negociação, já que foram transaccionados 217 mil títulos, pouco acima da média diária dos últimos seis meses (163 mil títulos).

 

Na sessão desta quarta-feira o volume de transacções também não é expressivo, tendo sido negociados pouco mais de 10 mil unidades de participação.

 

Após este desempenho, as unidades de participação do Montepio estão agora a acumular um ganho de 44,6% este ano. Apesar da valorização, as unidades de participação valem praticamente metade do valor a que foram admitidas à negociação, quando valiam 1 euro. 

 

A caixa económica tem estado a ser alvo de inúmeras notícias. Uma delas dá conta que, até Junho, a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa espera estudar um eventual investimento no Montepio, sobre o qual não há novidades.

 

A Montepio Geral - Associação Mutualista é a dona da caixa económica, que tem o fundo cotado em bolsa. Este fundo vai acabar quando for confirmada a transformação em sociedade anónima da caixa, com as unidades de participação a serem convertidas em acções do Montepio. Efectivando-se essa mudança, que aguarda o registo em conservatória, a mutualista passa a ter 95% da caixa, ficando o restante capital nas mãos dos titulares de unidades de participação. 

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
RATINGS NO LIXO 31.05.2017

ENTÂO AINDA QUEREM QUE AS AGÊNCIAS FINANÇEIRAS NOS TIREM DO LIXO COMO È QUE ISSO É POSSIVEL SE NA NOSSA BOLSA SÓ A TRAMPA È QUE SOBE ( montepio ) ENQUANTO QUE AQUILO QUE É BOM DESCE ( MILENIUM BCP ) assim " JAMAIS " como dizia o OUTRO

pub