Obrigações Moody’s retira da categoria "lixo" o rating dos depósitos do BPI

Moody’s retira da categoria "lixo" o rating dos depósitos do BPI

A agência de notação financeira melhorou em três níveis o rating do banco liderado por Pablo Forero, retirando-o de "lixo" e colocando-o na categoria de investimento de qualidade.
Moody’s retira da categoria "lixo" o rating dos depósitos do BPI
Miguel Baltazar
Carla Pedro 07 de dezembro de 2017 às 18:38

A Moody’s retirou o BPI da categoria de investimento especulativo [o chamado "lixo"], ao subir o seu rating dos depósitos de curto e longo prazo em três níveis, de Ba3 para Baa3.

 

Quanto à dívida de longo prazo, foi elevada para o primeiro grau de "lixo". A classificação da dívida sénior não garantida melhorou assim em dois níveis, de Ba3 para Ba1 – ficando assim a apenas um nível de sair de "junk".

 

Além disso, o outlook [perspectiva] para a evolução do rating foi melhorado de "estável" para "positivo", o que significa que em breve poderá melhorar novamente a notação do banco liderado por Pablo Forero.

 

O banco controlado pelos espanhóis do CaixaBank viu também ser melhorado o seu perfil de crédito individual [Baseline Credit Assessment - BCA], que mede a solidez financeira intrínseca da instituição financeira. Passou de b1 para ba3, ou seja do quarto para o terceiro nível de lixo. Já o BCA ajustado melhorou do terceiro nível (ba3) para o segundo (ba2).

"O ‘upgrade’ dos ratings do BPI reflectem a conjugação de vários factores, explica a agência no relatório a que o Negócios teve acesso. São eles as melhorias nos fundamentais financeiros do banco desde que o CaixaBank assumiu a sua maioria accionista em Fevereiro deste ano; a maior integração do BPI no grupo espanhol, que está em curso; e as alterações nos pressupostos de base da agência no âmbito da sua análise às perdas em caso de incumprimento (Loss Given Failure – LGF).

Já a perspectiva "positiva" reflecte, segundo a Moody’s, "o efeito altista que poderá observar-se nos ratings da dívida de longo prazo e dos depósitos no caso de as actuais tendências positivas que se verificam nos fundamentais financeiros do banco se consolidarem durante o período de ‘outlook’".

 

Recorde-se que quando a agência prevê que um rating pode ser alterado nos 6 a 24 meses seguintes, emite um outlook (perspectiva). Se considera que pode haver acontecimentos ou circunstâncias susceptíveis de mexerem com a classificação no curto prazo – normalmente no período de 90 dias – então pode colocar o rating em credit watch (sob revisão).



(notícia actualizada às 18:55)




pub