Bolsa Mota-Engil dispara 7% e reforça estatuto de estrela do PSI-20 em 2017

Mota-Engil dispara 7% e reforça estatuto de estrela do PSI-20 em 2017

As acções da construtora estão a reagir em alta ao anúncio de mais um contrato que ganhou no mercado africano. Desde o início do ano as acções sobem mais de 90%.
Mota-Engil dispara 7% e reforça estatuto de estrela do PSI-20 em 2017
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 27 de setembro de 2017 às 08:58

As acções da Mota-Engil estão a liderar os ganhos na bolsa nacional esta quarta-feira, tendo atingido máximos de Maio de 2015, reforçando assim o estatuto de cotada com o melhor desempenho do PSI-20 em 2017.

 

Os títulos subiram hoje um máximo de 6,97% para 3,079 euros, elevando o ganho acumulado este ano para 91,3%. Grande parte desta valorização foi obtida devido ao anúncio de contratos que a construtora liderada por Gonçalo Moura Martins (na foto) garantiu em várias geografias, com foco em África.

 

A subida desta quarta-feira tem a mesma explicação, já que a Mota-Engil anunciou ontem que ganhou adjudicações em África: uma delas na área dos minérios, em Moçambique, outra na renovação de ruas, em Angola. Contratos que têm o valor de cerca de 520 milhões de euros (437 milhões de euros ao câmbio actual). 

 

O de Moçambique é o de maior dimensão e o Haitong destaca-o pela positiva. "Gostamos de contratos como o de Moçambique, já que o cliente é uma grande empresa internacional", refere a nota no banco de investimento.

 

O CaixaBI comenta que as notícias dos contratos são "positivas para a empresa, mostrando o seu dinamismo e capacidade para reforçar a presença numa geografia importante e que poderá constituir um driver de crescimento para atingir os objectivos definidos pela gestão".

 

Segundo o Haitong, o valor dos dois contratos representa cerca de 10% da carteira de encomendas, que em Junho se situava em 4,9 mil milhões de euros. Tendo em conta o recente contrato de 320 milhões de euros na Costa do Marfim, a carteira de encomendas no mercado africano soma já quase 3 mil milhões de euros, "o que dá uma boa visibilidade sobre o crescimento futuro, já que a carteira de encomendas supera em mais de três vezes as receitas".   

 

Tendo em conta apenas o mês de Setembro, as acções da Mota-Engil valorizam mais de 20%, o que confere à empresa uma capitalização bolsista de 731,5 milhões de euros. As acções estão a renovar máximos de Maio de 2015 e lideram destacadas a tabela de ganhos anuais do PSI-20. Depois da construtora surge a Pharol (67,63%) e a Corticeira Amorim (35,41%).

 

Ainda é cedo para fazer o balanço do ano na bolsa nacional, mas se 2017 estivesse quase a terminar, seria fácil escolher a acção estrela do índice.

Desempenho das cotadas do PSI-20 em 2017. Dados retirados às 9:00
(notícia actualizada às 10:15 com cotação actualizada)




pub