Bolsa Nos e energia mantêm PSI-20 no vermelho

Nos e energia mantêm PSI-20 no vermelho

A bolsa nacional negoceia em queda pela segunda sessão consecutiva, numa altura em que a maioria dos índices europeus segue com sinal verde. A Nos, EDP Renováveis e Galp Energia são as empresas que mais penalizam.
Nos e energia mantêm PSI-20 no vermelho
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 29 de Novembro de 2016 às 13:32

A bolsa nacional segue em terreno negativo esta terça-feira, 29 de Novembro, com o PSI-20 a descer 0,33% para 4.411,86 pontos. Das 18 empresas que formam o índice nacional, 12 estão em queda, cinco em alta e uma inalterada.

O PSI-20 é dos poucos índices bolsistas que desvaloriza na Europa – juntamente com o índice holandês e o londrino Footsie – numa altura em que o mercado aguarda pelo desfecho da reunião da OPEP e o resultado do referendo em Itália, já este domingo.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, ganha 0,24% para 340,64 pontos, impulsionado sobretudo pelas empresas do sector das viagens e telecomunicações.

Por cá, são as cotadas da energia e a Nos que mais penalizam o PSI-20. Na energia, a EDP 0,3% para 2,699 euros, a EDP Renováveis recua 1,4% para 5,926 euros e a Galp perde 1,04% para 12,32 euros, acompanhando a queda dos preços do petróleo nos mercados internacionais.

Em Londres e Nova Iorque, a matéria-prima regista descidas em torno de 2,5%, devido ao cepticismo quando à possibilidade de os membros da OPEP finalizarem um acordo para cortar a produção na reunião que terá lugar esta quarta-feira, em Viena.

Já a Nos recua 0,98% para 5,332 euros, depois de o Citi ter cortado o preço-alvo para as acções da operadora de 7,00 para 5,90 euros – uma avaliação que pressupõe, ainda assim, um potencial de subida de 10,6%, tendo em conta a cotação actual.  

O Citi justifica esta revisão com a redução das estimativas de resultados e aumento do custo médio ponderado de capital (WACC) de 7 para 7,9%.

A contribuir para a queda do PSI-20 está ainda a Pharol e a Corticeira Amorim. A antiga PT SGPS cai 2,79% para 17,4 cêntimos, enquanto a Corticeira Amorim perde 0,62% para 8,078 euros.

Por outro lado, a evitar uma maior queda do índice nacional estão as empresas do retalho e os CTT. A empresa de correios ganha 1,07% para 5,842 euros, a Jerónimo Martins avança 0,54% para 14,90 e a Sonae valoriza 0,13% para 78,6 cêntimos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 dias

NAVIGATOR, APOSTA FORTE, EMPRESA EXPORTADORA, VALORIZACAO DO DOLAR, LUCROS, INVESTIDORA, BONS DIVIDENDOS, A EMPRESA MAIS BEM ORGANIZADA DO PS-DESGRACA

pub