Bolsa Novas OTRV ficam nas mãos de 63 mil investidores

Novas OTRV ficam nas mãos de 63 mil investidores

Nos dias da oferta das novas OTRV, houve uma procura por 1,4 mil milhões de euros, ficando 1,4 vezes acima do montante disponível. Ninguém subscreveu mais de 500 mil euros num só produto.
A carregar o vídeo ...
Diogo Cavaleiro 10 de abril de 2017 às 16:57

As novas obrigações do tesouro rendimento variável (OTRV) foram distribuídas por 63.017 investidores. Apenas 4% não tem residência em Portugal. Os restantes 96% são residentes ou com estabelecimento em Portugal.

 

Em oferta estavam 500 milhões de euros mas, como tem sido hábito nestas operações, o montante foi elevado para mil milhões. E mesmo assim, a procura foi superior: 1,42 mil milhões de euros foi o número total que os investidores no retalho ofereceram para subscrever com estes instrumentos através dos quais o Estado se financia. A procura foi, assim, 1,42 vezes superior à oferta, segundo a sessão de apuramento de resultados, que ocorreu esta segunda-feira, 10 de Abril. Aliás, logo no primeiro dia, quando ainda havia apenas 500 milhões de euros em OTRV disponíveis, havia já uma procura superior a 629 milhões.

A procura obrigou a um rateio (os investidores não ficaram com todo o valor que se propunham a subscrever) apesar de estas obrigações colocadas no retalho, que serão reembolsadas a 12 de Abril de 2022, pagarem o juro mais baixo das quatro emissões que já ocorreram até hoje: a taxa de juro mínima é de 1,9% (1,9 + a Euribor a seis meses, que está actualmente em terreno negativo).

 

A maior parte dos investidores (89,6%) subscreveu um montante entre 1.000 e 20.000 euros nas obrigações. 10% dos subscritores adquiriram OTRV avaliadas entre 20.001 e 50.000 euros, a que se juntam ainda os 0,2% que se situaram entre 50.001 e 100.000 euros e os 0,1% cujo valor de subscrição se situou entre 100.001 e 500.000 euros. Ninguém investiu mais de 500.000 euros nas OTRV - mesmo havendo propostas acima desse valor, o rateio obriga a uma redução do montante efectivamente investido. 

 

Estas obrigações serão admitidas à negociação esta quarta-feira, 12 de Abril, dia em que ocorre a liquidação financeira da emissão. Ou seja, é hoje que o dinheiro sai das contas de quem subscreveu os produtos para os cofres do Estado.

 

Na última emissão deste género, a procura tinha partido de 90 mil investidores, sendo que em Agosto o número se fixara em 65 mil. Na primeira operação, em Maio, foram menos de 39 mil os investidores que pediram as OTRV. A taxa de juro menos atractiva não impediu que a emissão atraísse 63 mil investidores, numa altura em que os depósitos têm oferecido remunerações reduzidas.  


 
(Notícia actualizada às 17:50 com mais informações)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 10.04.2017

Talvez Portugal esteja a precisar de ainda mais rigidez no mercado de trabalho e nas regras laborais. Assim deixamos a terceira revolução industrial dar-se em todo o mundo, e depois, mais uma vez, importamos, a crédito, tarde e a más horas, o que dela sobrar e nos der o menor valor acrescentado possível e exigir o menor esforço possível. Talvez hotéis e restaurantes automatizados e distribuição de vinho feita por drones...

ó SR NUNO AMADO TELEFONE 10.04.2017

ò SR NUNO AMADO faça o que eu lhe digo FAÇA COMO o SR AMORIM ligue lá para a HAITONG e para OUTRAS AGÊNCIAS com ele faz e PAGUE LÁ UNS ALMOÇITOS e eles que ponham o BCP a 0.99 senão assim SÓ a CORTIÇA É QUE sobe e o bcp fica sempre na TRUMP

pub