Crédito Novo crédito às empresas cai 9% este ano

Novo crédito às empresas cai 9% este ano

O montante emprestado às empresas recuperou em Setembro. Ainda assim, a tendência de 2016 continua a ser negativa.
Novo crédito às empresas cai 9% este ano
Paulo Duarte
Raquel Godinho 08 de Novembro de 2016 às 13:07

As instituições financeiras emprestaram 2.356 milhões de euros às empresas, em Setembro, de acordo com os dados publicados pelo Banco de Portugal, esta terça-feira. Um valor que representa um aumento de 16% face ao mês anterior. Ainda assim, o montante concedido nos primeiros nove meses do ano continua aquém de 2015. Representa uma diminuição de 9%.


O novo crédito concedido às empresas atingiu em Agosto o valor mais baixo de sempre (2.029 milhões de euros). Em Setembro, recuperou e chegou aos 2.356 milhões de euros, o valor mais elevado desde Julho. 

As pequenas e médias empresas (PME) captaram 1.423 milhões de euros, o que superou os 1.340 milhões de euros do mês anterior. Já as grandes empresas solicitaram 933 milhões de euros, mais do que os 689 milhões de euros que tinham sido emprestados um mês antes.


No acumulado dos primeiros nove meses do ano, o novo crédito às empresas ascendeu a 22.317 milhões de euros, menos 9% do que no mesmo período do ano anterior, revelam os dados do Banco de Portugal.


O crédito às empresas continua, assim, com dificuldades em recuperar. E regista um desempenho oposto ao crédito a particulares. Os novos empréstimos à habitação, que representam metade de todo o dinheiro concedido às famílias, aumentaram 51% face aos primeiros nove meses do ano passado




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira Há 1 dia

Uma empresa bem gerida anda pelo menos 8 meses a trabalhar para o impostos e custos energeticos (excessivos). Claro que ninguém investe.Por outro lado (salvo raras excepções) só os amigos caloteiros pedem dinheiro aos bancos, para nunca pagar.

pub
pub
pub
pub