Crédito Novo crédito para a casa atinge máximos de sete anos

Novo crédito para a casa atinge máximos de sete anos

Os bancos emprestaram mais de 800 milhões de euros para a compra de casa, em Dezembro, de acordo com os dados do Banco de Portugal. Trata-se do valor mais elevado desde o mesmo mês de 2010.
Novo crédito para a casa atinge máximos de sete anos
Miguel Baltazar
Raquel Godinho 14 de fevereiro de 2018 às 11:33

Dezembro foi o melhor mês do ano no que diz respeito a novas operações do crédito à habitação. Os bancos emprestaram 819 milhões de euros, um máximo desde Dezembro de 2010, revelam os dados do Banco de Portugal. No acumulado de 2017, as novas operações de empréstimos para a compra de casa totalizaram os 8.259 milhões de euros, um máximo também de sete anos.

O crédito à habitação continua a ser o principal motor do financiamento às famílias. E disparou em Dezembro do ano passado. Superou os 800 milhões de euros, naquele que foi o melhor mês do ano. É preciso recuar a Dezembro de 2010 para encontrar um valor mais elevado: 844 milhões de euros.


As novas operações de crédito à habitação totalizaram, assim, 8.259 milhões de euros, em 2017. Um montante que supera em 42,6% o valor concedido ao longo de 2016. É o valor anual mais elevado desde 2010, o ano anterior à chegada da troika e que marcou a contracção na concessão de crédito.


Em média, os bancos nacionais emprestaram 22,6 milhões de euros por dia para a compra de casa, no ano passado.


O montante emprestado para a compra de casa, em Dezembro, representou 58,4% de todo o dinheiro concedido às famílias. O crédito a particulares, no último mês do ano passado, ascendeu a 1.403 milhões de euros, o valor mais elevado desde Março 2012. No acumulado do ano, as famílias captaram 14.450 milhões de euros em financiamento, o valor mais elevado em sete anos.


Além dos empréstimos à habitação, também o crédito ao consumo aumentou, em 2017. Em Dezembro, foram concedidos 401 milhões de euros, valor que elevou para 4.225 milhões de euros o montante emprestado em todo o ano. Este valor representa um crescimento de 11% face ao montante concedido em 2016.Neste caso é o montante anual mais elevado desde 2006.


Quanto ao crédito para outros fins, em Dezembro, foram concedidos 183 milhões de euros, o que colocou o montante anual em 1.966 milhões de euros, um máximo desde 2015. Este valor aumentou 5,6% face a 2016.


Quanto às empresas, a tendência tem sido diferente do financiamento às famílias. Ainda assim, em Dezembro, foram emprestados 3.475 milhões de euros. Este valor supera os 2.524 milhões de euros concedidos um mês antes e é mesmo o mais elevado desde Dezembro de 2015, quando foram emprestados 3.695 milhões de euros.


Deste valor, 1.551 milhões de euros foram emprestados a pequenas e médias empresas (PME) e 1.924 milhões de euros a grandes empresas. Em ambos os casos se verificaram aumentos face ao mês anterior: as operações de valores até um milhão de euros aumentaram 5,1% face ao mês anterior, enquanto os créditos acima de um milhão de euros cresceram 83,6%.


No acumulado de 2017, foram concedidos 28.844 milhões de euros, menos 3,32% do que em 2016. Este valor é mesmo o mais reduzido desde que o Banco de Portugal começou a publicar estes dados, em 2003.


(notícia actualizada às 12:00 com mais informação)




pub