Bolsa Novo mínimo dos CTT e queda da EDPR penalizam bolsa

Novo mínimo dos CTT e queda da EDPR penalizam bolsa

A bolsa nacional segue o desempenho das praças europeias, numa sessão em que os investidores aguardam com expectativa os dados do mercado de trabalho nos EUA.
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 03 de novembro de 2017 às 08:15

O PSI-20 recua 0,07% para 5.442,74 pontos, com nove cotadas em queda, sete em alta e duas sem variação.

 

O índice português volta a ser penalizado pelos CTT, que abriram a sessão em queda acentuada, reflectindo o facto de várias casas de investimento continuarem a cortar a avaliação das acções. Já depois do fecho da sessão o CaixaBI desceu o preço-alvo em 28%, para 4,70 euros por acção e já esta manhã, segundo a Bloomberg, o Goldman Sachs desceu a recomendação dos títulos de "comprar" para "neutral".

 

As acções da empresa dos correios descem 3,28% para um novo mínimo histórico nos 3,658 euros, elevando para quase 30% a queda acumulada desde que anunciou resultados abaixo do esperado e um corte no dividendo.

 

A EDP Renováveis também penaliza o índice português, com as acções da empresa de energia limpa a ceder 1,52% para 7,05 euros.

 

Já a EDP segue em alta, com as acções a reagirem de forma favorável aos resultados (+0,23% para 3,105 euros). A companhia liderada por António Mexia anunciou ontem que os lucros subiram 86% para 1.147 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano face a período homólogo, com a empresa a beneficiar com a mais-valia da venda da Naturgás. Sem ter em conta este impacto, os analistas do CaixaBI previam uma queda de 5% nos lucros para 583 milhões de euros. 

 

Esta sexta-feira será a vez de a REN, Cofina e Altri publicarem as contas do terceiro trimestre.

 

Ainda a condicionar o desempenho do PSI-20 a Galp Energia cede 0,19% para 16,03 euros, a Navigator recua 0,18% para 4,51 euros e o BCP desvaloriza 0,23% para 0,255 euros. Do lado dos ganhos está a Jerónimo Martins (+0,32% para 15,90 euros), depois do CEO pedro Soares dos Santos ter admitido a possibilidade de a empresa pagar um dividendo extraordinário.

 

A nível macro-económico os investidores vão centrar atenções no relatório do emprego nos Estados Unidos (12:30 de Lisboa). As estimativas dos economistas consultados pela agência Bloomberg apontam para que a taxa de desemprego se tenha mantido inalterada nos 4,2% e que as contratações tenham aumentado em cerca de 300 mil.




A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Coimbra Há 2 semanas

Os curtos atacam o BCP com tudo o que têm, mas já não faltará muito para que passe a barreira dos 0,26. A partir dai...."é um ver se te avias"! Subirá bem...

Emigrante Há 2 semanas

Pelo histórico recente na semana antes da apresentação de resultados o BCP sobe sempre. E desta vez não será diferente porque o trimestre correu bem: fechou-se o dossier Novo Banco, iniciou-se a sociedade para tratar do mal parado, subiu o ranking da republica, desceu o desemprego, etc.

O CTT parece o BCP em queda livre Há 2 semanas

Algo impensável até á bem pouco tempo. Se assim continua a cair vai acabar como BCP a valer uns meros cêntimos... tudo a fugir a sete patas. Uma situação idêntica a esta só me faz lembrar mesmo o BCP que nunca mais se levantou. Fugir é o menor dos males e tentar recuperar noutro titulo.

BCP fecha trimestre com + de 400 MILHÕES Há 2 semanas

E HOJE OS RATINGS DO BCP E DE PORTUGAL VÃO VOLTAR A SUBIR UPA UPA BCP 0.40 há VISTA

ver mais comentários