Mercados O melhor preço para vender e comprar ouro, segundo os analistas

O melhor preço para vender e comprar ouro, segundo os analistas

O metal precioso valorizou cerca de 8% este ano. Os especialistas apontam intervalos para a entrada e saída deste activo.
O melhor preço para vender e comprar ouro, segundo os analistas
Dario Pignatelli/Bloomberg
Mariana Adam 05 de julho de 2017 às 13:47

A UBS aconselha a comprar no curto prazo a onça de ouro a 1.200 dólares e a vender a 1.300, alegando que este metal segue de perto os movimentos das taxas de juro reais dos Estados Unidos.

Uma previsão semelhante à de Robin Tsui, um especialista em ouro do State Street Global Advisors, fundo negociado em bolsa, que defende que o ouro deverá variar entre os 1.150 e os 1.350 dólares no segundo semestre, "dependendo do comportamento dos mercados accionistas mundiais, da capacidade de Trump para implementar a sua agenda e da força do dólar".


O ouro subiu quase 9% no primeiro trimestre deste ano. Os investidores procuraram este activo como refúgio devido à incerteza com a presidência de Donald Trump e os riscos geopolíticos. Os preços caíram entretanto e registaram o seu primeiro recuo mensal do ano em Junho, ao perder 2,6%. 

Na última segunda-feira, 3 de Julho, o metal precioso bateu mínimos de oito meses, numa altura em que as acções e os rendimentos das obrigações recuperaram, mas depois do lançamento do míssil balístico intercontinental pela Coreia do Norte o estatuto de refúgio levou a uma recuperação do preço do metal amarelo, que esta quinta-feira está a negociar nos 1.225,05 dólares.

Contas feitas o ouro valorizou cerca de 8% este ano. "Não estamos a dizer que vai existir uma tendência de alta; nem estamos a dizer que vai haver uma baixa ", afirma Wayne Gordon, director executivo de commodities e câmbio da UBS. "Estamos a dizer que as pessoas devem comprar por cerca de 1.200 dólares e vender em torno dos 1.300 dólares". 


Se o desemprego dos EUA continuar a cair, e a Reserva Federal continuar a aumentar as taxas de juros, não importa o movimento da inflação, isso será sempre negativo para o ouro no curto prazo, explicou Gordon.  O ouro também pode actuar como seguro se o mercado de trabalho não mostrar melhorias nos EUA e a inflação não diminuir, o que faria o Fed abrandar o seu caminho, ou se o crescimento global diminui, acrescentou Gordon.

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.